Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Destino Xiamen, a cidade mais romântica da China (parte 01)

Considerada em 2011 como a cidade de lazer mais romântica da China e a segunda mais apropriada para viver, Xiamen que faz parte da província de Fujian (Fuquiém), foi o destino de uma excursão promovida pela Associação dos Antigos Alunos do Seminário São José, de Macau, antigo território português, que fica a cerca de 700 kms de distância. A cidade que localiza-se defronte à Ilha de Taiwan, em 2002, tinha uma população de cerca de 1.400.000 habitantes.

Manuel V. Basílio, residente em Macau e um dos antigos alunos, participou do passeio e fez várias fotografias, colaborando com textos explicativos dos locais visitados. Pela extensão do assunto e volume de imagens, o tema está dividido em duas postagens, sendo esta a primeira e a segunda pode ser visualizada neste link: https://cronicasmacaenses.com/2016/12/16/destino-xiamen-a-cidade-mais-romantica-da-china-parte-02/

(Fotografias de/photos by Manuel V. Basílio – clicar nas fotos para ampliar)

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

XIAMEN

De acordo com a Wikipédia, A cidade de Xiamen foi fundada no ano de 282. No ano 1387, a dinastia Ming converteu-a em base para lutar contra os piratas. Foi o principal porto utilizado pelos europeus em 1541 e o de maior utilização para a exportação de chá durante o século XIX. Os mercadores estrangeiros só estavam autorizados a viver na ilha de Gulangyu. O município de Xiamen compreende as ilhas de Gulangyu e as de Xiamen. Estas últimas estão situadas bem perto da ilha de Quemoy; ilha que está sob a administração de Taiwan.

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

M.V. Basílio comenta: Com a participação de vários antigos alunos, incluindo familiares e amigos, da Associação dos Antigos Alunos do Seminário de S. José de Macau, realizou-se entre os dias 28 e 31 de Outubro, um passeio a Xiamen (em cantonense, Há Mun ou, historicamente, entre estrangeiros, Amoy), actualmente uma das mais importantes cidades da costa sudeste da China, da provincia de Fujian (em cantonense: Fôk Kin).

É impressionante o rápido desenvolvimento de Xiamen. Quando a China iniciou a sua reforma económica, Xiamen foi escolhida, em 1980, para ser uma das zonas económicas especiais, com vista a atrair investimento estrangeiro, particularmente de chineses ultramarinos. Fruto dessa política, Xiamen não parou de crescer, devido a investimentos provenientes principalmente de Taiwan, Hong Kong e Singapura, e das condições excepcionais do seu porto marítimo. Apesar desse rápido desenvolvimento, com a construção de edifícios arquitectonicamente modernos, significativos exemplares de edifícios de estilo colonial foram preservados, reconstruídos ou recuperados. Xiamen é considerada a segunda cidade mais apropriada para viver, por manter uma baixa poluição, e eleita como cidade de lazer mais romântica da China, em 2011.

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Visita à igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Xiamen

Foto: M.V. Basílio

Instalação provisória da igreja. Foto: M.V. Basílio

M.V. Basílio:– A Igreja de Nossa Senhora do Rosário foi construída por missionários italianos, em 1860, localizada em Cin Lu, cidade de Xiamen. A visita a essa igreja estava programada, no entanto, após a nossa chegada, foi-nos informado que, devido ao estado de conservação e sobretudo a ameaça de ruína, a igreja foi recentemente demolida. O governo municipal vai reconstruí-la no mesmo local, prevendo-se estar concluída dentro de 3 anos. Entretanto, edificaram uma instalação provisória num outro local para continuar a providenciar o serviço religioso aos fiéis. Mantendo a nossa intenção, fomos visitar essa instalação provisória e conversar com o encarregado da igreja, que cordialmente nos recebeu.

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Nota do blog: De acordo com a Wikipédia – Desde o estabelecimento da República Popular da China, em 1949, pelo Partido Comunista Chinês, o catolicismo, como todas as religiões, passou a estar fortemente supervisionado pelo Estado, que é oficialmente ateu. O Estado também determinou que todo o culto católico só era legal quando era conduzido pelas igrejas pertencentes à Associação Patriótica Católica Chinesa, um organismo governamental fundada em 1957 e que não aceita a autoridade do Papa. Em 1951, as autoridades chinesas forçaram a Igreja chinesa a cortar as suas relações com a Santa Sé e com o resto das Igrejas Católicas. Os únicos sítios na República Popular da China onde a Igreja Católica não é perseguida nem controlada são nas regiões administrativas especiais de Macau e de Hong Kong, onde a liberdade religiosa é defendida pelos seus textos constitucionais (Lei Básica de Macau e Lei Básica de Hong Kong) e por tratados internacionais (Declaração Conjunta Sino-Portuguesa sobre a Questão de Macau e Declaração conjunta sino-britânica sobre a questão de Hong Kong). Logo, as dioceses de Macau e de Hong Kong não são controladas pela Associação Patriótica.

Visita à ilha Gulangyu

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

M.V. Basílio:- Após a vitória dos ingleses na Primeira Guerra do Ópio (1839-1942), Xiamen (ou Amoy, conforme designação estrangeira) passou a ser um dos cinco “portos do Tratado” estabelecidos no Tratado de Nanjing, em 1842.

Na sequência desse Tratado, a ilha Gulangyu, localizada a menos de uma milha da costa da cidade de Xiamen, foi permitida a britânicos e outros europeus estabelecerem seus consulados e construirem mansões luxuosas, tornando-se num enclave perfeitamente preservado da história e arquitectura europeias. Mais tarde, chineses ultramarinos abastados também elegeram essa ilha para residência.

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Dizem que, além de Xangai, a ilha Gulangyu é a segunda localidade da China onde predominam edificações de estilo ocidental ou colonial, quer originais, quer recuperadas ou reconstruídas, e mesmo as novas edificações são reproduções ou imitações desse estilo. Gulangyu é actualmente uma zona ecológica e culturalmente protegida, onde afluem visitantes chineses e estrangeiros. Não há transportes públicos, nem é permitida a circulação de viaturas privadas dentro da ilha. A deslocação é feita a pé, o que é perfeitamente praticável, visto que toda a ilha tem de área aproximadamente 2 km quadrados.

É no Parque Haoyue (皓月園), no topo de um rochedo, que está colocada uma enorme estátua de Koxinga, com o rosto virado em direcção à ilha de Taiwan. Por escassez de tempo, não nos foi possível visitar esse parque e admirar de perto a figura de Koxinga.

passeio-antigos-alunos-seminario-s-jose-a-xiamen-2016-41

Foto: M.V. Basílio

 

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

passeio-antigos-alunos-seminario-s-jose-a-xiamen-2016-54

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

Foto: M.V. Basílio

passeio-antigos-alunos-seminario-s-jose-a-xiamen-2016-60

Foto: M.V. Basílio

O grupo que participou da excursão a Xiamen

Tratado de Nanquim

Foto: M.V. Basílio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 15/12/2016 por em Gulangyu, Xiamen e marcado , , , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 831.539 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

%d blogueiros gostam disto: