Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Em Macau a procissão de Corpus Christi volta a ser realizada em 2017 após décadas

PROCISSÃO DO CORPO DE DEUS

Texto e fotos de Manuel V. Basílio (Macau)

A festa do Corpo de Deus, ou Corpus Christi, ou mais precisamente, a Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, é celebrada na quinta-feira seguinte ao Domingo da Santíssima Trindade, cuja origem remonta ao século XIII.

Um tapete de flores, em frente à entrada principal da Sé Catedral. Foto M.V. Basílio

Folheto editado pelo Semanário “O Clarim”

Em Portugal, a festa do Corpus Christi começou a ser celebrada em 1282, por ordem do rei D. Dinis. Desconhecemos em que ano ou época se iniciou a celebração desta festa em Macau. No entanto, Montalto de Jesus, no seu livro Macau Histórico, relata este incidente, ocorrido no tempo do Governador Ferreira do Amaral: “A 7 de Junho de 1849, a procissão de Corpus Christi, revestida de pompa da Igreja e do Estado, seguia pelas ruas de Macau, quando, no meio da multidão, um desconhecido que assistia à celebração, de uma proeminente e vantajosa posição, desafiou o uso dos países católicos romanos em tais solenidades, mantendo o chapéu posto, porque era protestante – James Summers, professor da Escola Colonial Chaplain, de Hong Kong. Vários cavalheiros protestantes que, por cortesia, mantinham a cabeça descoberta ordenaram-lhe que retirasse como os outros o chapéu, se quisesse evitar consequências desagradáveis. Mas ele preferiu ver o espectáculo e exibir o seu fanatismo. Um padre que passava pediu-lhe educadamente que tirasse o chapéu ante a hóstia que se aproximava e, ao ser ignorado, chamou a atenção de Amaral, que mandou uma ordenança com o mesmo pedido, tendo o dito personagem mantido a recusa. Por ordem de Amaral, Summers foi, por isso, detido e encarcerado na casa da guarda”. Seguiu-se um periodo de negociações para a libertação de Summers. Após várias discussões, sem resultados, os ingleses conceberam um plano e conseguiram entrar na sala do Senado, e o cabo que estava de folga e que deu o alarme foi logo morto. Em seguida, desarmaram a sentinela e feriram 3 guardas, conseguindo, assim, libertar Summers da prisão e levá-lo a um barco a remos, pertencente a uma frota inglesa, ancorada ao largo de Macau. Gerou-se então uma questão diplomática, que teve de ser resolvida entre Lisboa e Londres.

Pelo que sabemos, a procissão de Corpo de Deus não se realizou com regularidade em Macau, tendo havido interrupções, designadamente após a implantação da República, em 1910. A partir de então a Solenidade deixou de percorrer as ruas desta cidade, remetendo-se ao interior de igrejas. Depois de um período de interrupção, a procissão regressou às ruas, voltando a ser interrompida nos anos 70, mais concretamente a partir de 1974, talvez motivada por situações ocorridas em Portugal, na sequência da Revolução dos Cravos.

Após décadas de interrupção, este ano, por decisão do Bispo da Diocese, a Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo voltou a ser celebrada, com a procissão a sair da Sé Catedral, nesta tarde do dia 18 de Junho, pelas 15H15, tendo percorrido o Largo e Rua da Sé, descido pela Travessa do Roquete, e seguindo depois pelo Largo do Senado até ao Largo de S. Domingos. Ali, o Santíssimo Sacramento foi levado para dentro da igreja, seguido de muitos fiéis, onde se fez uma benção solene. Em seguida, o cortejo saiu novamente para o Largo, dirigindo-se de regresso para a Sé Catedral, pela Travessa do Bispo. Diversamente de outras procissões, o andor que carregava o Santíssimo foi transportado durante todo o percurso apenas por sacerdotes.

Esta manhã, estávamos com receio de que a procissão não se realizasse, porque o tempo estava chuvoso. Felizmente, à hora em que fomos à igreja, a chuva abrandou e quando a procissão saiu, nem sequer uma pinga caiu do céu. No entanto, no início da noite, a chuva voltou a cair. Graças a Deus, a procissão realizou-se!

Sé Catedral. Foto M.V. Basílio

D. Stephen Lee Bun-sang, Bispo da Diocese de Macau. Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

No Largo do Senado, seguindo a procissão em direcção à igreja de S. Domingos. Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

No Largo de S. Domingos, no momento em que a procissão entrava para a igreja.. Foto M.V. Basílio

O Santíssimo Sacramento foi levado para dentro da Igreja de São Domingos, seguido de muitos fiéis, onde se fez uma benção solene. Foto M.V. Basílio

Em seguida, o cortejo saiu novamente para o Largo de São Domingos, dirigindo-se de regresso para a Sé Catedral, pela Travessa do Bispo. Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Diversamente de outras procissões, o andor que carregava o Santíssimo foi transportado durante todo o percurso apenas por sacerdotes. Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Na manhã, no Largo de S. Domingos, quando a chuva caía com bastante intensidade. Foto M.V. Basílio

 

2 comentários em “Em Macau a procissão de Corpus Christi volta a ser realizada em 2017 após décadas

  1. No meu tempo de estudante, os Bispos eram muito+ velhos do que o atual, que não deve ter + de 55 anos. Se o meu prognóstico acertar, então se confirma uma vez mais, que o mundo deu uma grande reviravolta…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 01/07/2017 por em Procissão Corpus Christi 2017 e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.188.284 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Brasão de Armas de Macau

Brasão de Armas de Macau

Os Brasões de Macau portuguesa são todos inspirados nos estilos heráldicos tradicionais da Europa. O primeiro brasão de armas de Macau foi usado até ao final do século XIX. É apenas constituído pelas armas de Portugal cercado pela inscrição Cidade do Nome de Deus, Não Há Outra Mais Leal. O segundo brasão de armas foi […]

Jantar de Boas-Vindas e Sessão de Abertura e do Encontro das Comunidades Macaenses–Macau 2019

Jantar de Boas-Vindas e Sessão de Abertura e do Encontro das Comunidades Macaenses–Macau 2019

A Sessão Solene de Abertura e Jantar de Boas Vindas do Encontro das Comunidades Macaenses – Macau 2019, oferecida pelo Governo da RAEM, foi realizada em 24 de Novembro de 2019 no Hotel Sheraton Grand Macao, Cotai Central, na Ilha da Taipa de Macau O Chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On, cujo mandato se […]

Festival de Gastronomia de Macau

Festival de Gastronomia de Macau

Todos os anos, no mês de Novembro, o Festival de Gastronomia de Macau (Macau Food Festival) que é realizado na Praça do Lago Sai Van, bem ao lado da Torre de Macau (Macau Tower). atrai multidões, tanto residentes como turistas, como foi o nosso caso em 2019, pela variedade de comida chinesa, asiática, como a […]

%d blogueiros gostam disto: