Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

Em Macau a procissão de Corpus Christi volta a ser realizada em 2017 após décadas

PROCISSÃO DO CORPO DE DEUS

Texto e fotos de Manuel V. Basílio (Macau)

A festa do Corpo de Deus, ou Corpus Christi, ou mais precisamente, a Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, é celebrada na quinta-feira seguinte ao Domingo da Santíssima Trindade, cuja origem remonta ao século XIII.

Um tapete de flores, em frente à entrada principal da Sé Catedral. Foto M.V. Basílio

Folheto editado pelo Semanário “O Clarim”

Em Portugal, a festa do Corpus Christi começou a ser celebrada em 1282, por ordem do rei D. Dinis. Desconhecemos em que ano ou época se iniciou a celebração desta festa em Macau. No entanto, Montalto de Jesus, no seu livro Macau Histórico, relata este incidente, ocorrido no tempo do Governador Ferreira do Amaral: “A 7 de Junho de 1849, a procissão de Corpus Christi, revestida de pompa da Igreja e do Estado, seguia pelas ruas de Macau, quando, no meio da multidão, um desconhecido que assistia à celebração, de uma proeminente e vantajosa posição, desafiou o uso dos países católicos romanos em tais solenidades, mantendo o chapéu posto, porque era protestante – James Summers, professor da Escola Colonial Chaplain, de Hong Kong. Vários cavalheiros protestantes que, por cortesia, mantinham a cabeça descoberta ordenaram-lhe que retirasse como os outros o chapéu, se quisesse evitar consequências desagradáveis. Mas ele preferiu ver o espectáculo e exibir o seu fanatismo. Um padre que passava pediu-lhe educadamente que tirasse o chapéu ante a hóstia que se aproximava e, ao ser ignorado, chamou a atenção de Amaral, que mandou uma ordenança com o mesmo pedido, tendo o dito personagem mantido a recusa. Por ordem de Amaral, Summers foi, por isso, detido e encarcerado na casa da guarda”. Seguiu-se um periodo de negociações para a libertação de Summers. Após várias discussões, sem resultados, os ingleses conceberam um plano e conseguiram entrar na sala do Senado, e o cabo que estava de folga e que deu o alarme foi logo morto. Em seguida, desarmaram a sentinela e feriram 3 guardas, conseguindo, assim, libertar Summers da prisão e levá-lo a um barco a remos, pertencente a uma frota inglesa, ancorada ao largo de Macau. Gerou-se então uma questão diplomática, que teve de ser resolvida entre Lisboa e Londres.

Pelo que sabemos, a procissão de Corpo de Deus não se realizou com regularidade em Macau, tendo havido interrupções, designadamente após a implantação da República, em 1910. A partir de então a Solenidade deixou de percorrer as ruas desta cidade, remetendo-se ao interior de igrejas. Depois de um período de interrupção, a procissão regressou às ruas, voltando a ser interrompida nos anos 70, mais concretamente a partir de 1974, talvez motivada por situações ocorridas em Portugal, na sequência da Revolução dos Cravos.

Após décadas de interrupção, este ano, por decisão do Bispo da Diocese, a Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo voltou a ser celebrada, com a procissão a sair da Sé Catedral, nesta tarde do dia 18 de Junho, pelas 15H15, tendo percorrido o Largo e Rua da Sé, descido pela Travessa do Roquete, e seguindo depois pelo Largo do Senado até ao Largo de S. Domingos. Ali, o Santíssimo Sacramento foi levado para dentro da igreja, seguido de muitos fiéis, onde se fez uma benção solene. Em seguida, o cortejo saiu novamente para o Largo, dirigindo-se de regresso para a Sé Catedral, pela Travessa do Bispo. Diversamente de outras procissões, o andor que carregava o Santíssimo foi transportado durante todo o percurso apenas por sacerdotes.

Esta manhã, estávamos com receio de que a procissão não se realizasse, porque o tempo estava chuvoso. Felizmente, à hora em que fomos à igreja, a chuva abrandou e quando a procissão saiu, nem sequer uma pinga caiu do céu. No entanto, no início da noite, a chuva voltou a cair. Graças a Deus, a procissão realizou-se!

Sé Catedral. Foto M.V. Basílio

D. Stephen Lee Bun-sang, Bispo da Diocese de Macau. Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

No Largo do Senado, seguindo a procissão em direcção à igreja de S. Domingos. Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

No Largo de S. Domingos, no momento em que a procissão entrava para a igreja.. Foto M.V. Basílio

O Santíssimo Sacramento foi levado para dentro da Igreja de São Domingos, seguido de muitos fiéis, onde se fez uma benção solene. Foto M.V. Basílio

Em seguida, o cortejo saiu novamente para o Largo de São Domingos, dirigindo-se de regresso para a Sé Catedral, pela Travessa do Bispo. Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Diversamente de outras procissões, o andor que carregava o Santíssimo foi transportado durante todo o percurso apenas por sacerdotes. Foto M.V. Basílio

Foto M.V. Basílio

Na manhã, no Largo de S. Domingos, quando a chuva caía com bastante intensidade. Foto M.V. Basílio

 

Anúncios

2 comentários em “Em Macau a procissão de Corpus Christi volta a ser realizada em 2017 após décadas

  1. No meu tempo de estudante, os Bispos eram muito+ velhos do que o atual, que não deve ter + de 55 anos. Se o meu prognóstico acertar, então se confirma uma vez mais, que o mundo deu uma grande reviravolta…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 01/07/2017 por em Procissão Corpus Christi 2017 e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 673,943 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Viajar ao passado de Macau, dos belos tempos dos anos 60 e 70, é o que nos proporciona o vídeo “Macau 70”, produzido pela RTP Rádio e Televisão Portuguesa. A comemorar 70 anos, a RTP disponibilizou no seu website os arquivos para consulta ‘on-line‘ e Macau está presente numa das suas seções. Na apresentação do […]

%d blogueiros gostam disto: