Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

A orla marítima de São Sebastião, a cidade mais antiga do litoral norte de São Paulo

Como a cidade mais antiga do litoral norte de São Paulo, São Sebastião era habitada por índios Tupinambás e Tupiniquins antes da colonização portuguesa que aconteceu no início da história do Brasil, após a divisão do território em Capitanias Hereditárias. Foi encontrada por Américo Vespúcio em 1502 quando passava pela região.

São Sebastião, a cidade mais antiga do litoral norte de São Paulo

Na nossa última viagem a esse litoral no inverno de 2017, demos um giro rápido pela cidade parando na orla marítima defronte à Ilhabela separada pelo canal de São Sebastião . Ventava e fazia um friozinho com leve garoa ocasionalmente.

Porto de São Sebastião recebe investimentos para melhorar a sua capacidade de operação.

Podia-se avistar navios cargueiros ancorados e o porto que está a receber investimentos para aumentar a sua capacidade de operação. A reforma deve durar até 2035, conforme informações. No canal fica o oleoduto da maior unidade da Transpetro (a subsidiária da Petrobras responsável pelo transporte de petróleo e demais combustíveis), responsável por 80% do combustível exportado pelo país.

Separada pelo canal de São Sebastião e ligada por balsas está a Ilhabela ou Ilha de São Sebastião.

O município de Ilhabela no qual está inserido a Ilha de São Sebastião toda exuberante e misteriosa, ligada apenas por balsas e embarcações, vive a sua riqueza com os royalties do pré-sal permitindo a prefeitura realizar várias obras de melhoria da infraestrutura da ilha.

O centro histórico de São Sebastião

Além de 36 praias, a cidade de São Sebastião tem o centro da cidade dividido em duas partes: uma, antiga, o centro histórico, em torno da Igreja matriz, cheia de casas do Brasil Colonial, que hoje abrigam bares, restaurantes, hotéis e repartições públicas. A outra parte, moderna, localiza-se próxima ao mar, num aterro. É um dos principais pontos de encontro dos moradores da cidade, tendo como principal logradouro a Rua da Praia, onde está localizada a pista de skate da cidade, que tinha sido considerada a maior do Brasil, com 7.000 m², além do teatro municipal. Há também muitas sorveterias, restaurantes, bares, feiras de artesanato e uma grande praça.

*Fontes de consulta e/ou reprodução parcial de textos: Wikipédia, site da Prefeitura Municipal de São Sebastião e jornal O Estado de São Paulo

(Fotografia e edição por/photos by Rogério P D Luz)

A grande praça junto ao centro histórico

A grande praça tem feira de artesanato

A grande praça

Dá para passar horas sentado apreciando a paisagem. Dá uma sensação de paz e de tranquilidade.

Lazer no Canal de São Sebastião

Separada pelo canal de São Sebastião e ligada por balsas está Ilhabela ou Ilha de São Sebastião.

Ôpa vai cair e caiu no mar!

 

2 comentários em “A orla marítima de São Sebastião, a cidade mais antiga do litoral norte de São Paulo

  1. Pedro Paulo Romano
    11/05/2019

    Gostaria de me estabelecer em São Sebastião, como vejo imóveis para aluguel?

    • Olá Pedro Paulo, fui passear em São Sebastião como turista por umas horas. Sugiro pesquisar em sites de imóveis para alugar, como a SP OLX ou a ZAPImoveis cujos endereços pode localizar nos sites de pesquisa como a Google.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.160.744 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

A primeira atividade oficial do Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 ocorreu no dia 23 de Novembro de 2019, num sábado, nas dependências do Jardim Infância D. José da Costa Nunes, como já vem acontecendo nos Encontros anteriores. No último Encontro que participei em 2010, o evento foi mais descontraído com apresentação de músicos tanto […]

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Em 2007, visitei o Museu do Grande Prémio de Macau e lá fiz várias fotos. Nesta postagem, o assunto é o piloto Rodolfo Ávila. Venha conhecê-lo melhor. Publicação e fotografias de/photos by Rogério P D Luz Texto extraído da enciclopédia livre – Wikipédia Rodolfo Freitas Silvério de Abreu Ávila nasceu em Lisboa no dia 19 […]

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A foto da estátua Ferreira do Amaral, em Macau, foi objeto de indagação feita ao autor deste blog por MJ Raydor no Facebook, que queria saber da sua história. Por desconhecê-la, coube ao Carlos Dias dar a resposta abaixo com publicação de uma imagem: “Tratava-se da Comissão Organizadora das comemorações de 102º. aniversário da Tomada […]

%d blogueiros gostam disto: