Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Minchi: 4 receitas da Alda Carvalho Ângelo

Complementando a postagem anterior sobre o livro Fragmentos do Oriente da Alda de Carvalho Ângelo e duas receitas de Minchi (carne moída), publico outras quatro completando as seis divulgadas. Bom lembrar que a Dna. Alda escreveu as receitas no Brasil, portanto adaptadas para melhor compreensão dos brasileiros.

Ovos recheados com minche

Cozinhe uns ovos duros (a quantidade que quiser rechear). Depois de frio, corte ao meio, em sentido longitudinal. Tire as gemas com cui-dado. Esmague as gemas com o minche e encha as claras com esta mistura, deixando a superfície ligeiramente abaulada. Passe cada uma dessas metades em ovo batido e depois em farinha de rosca e frite em óleo quente. Enfeite com folhas de alface.

O Minchi ou Minche faz parte da Gastronomia Macaense, candidata a Patrimônio Cultural Intangível de Macau, Os pratos expostos na foto fazem parte da gastronomia e foram servidos numa festa na Casa de Macau de São Paulo de 2008. Compõem o que chamamos de Chá Gordo

Madeira fán (arroz frito com minche)

Receita para 6 pessoas

Prepare:

minche com 1/2 kg de carne moída e cebola

verde picadinha. 1/2 kg de arroz branco  (deixe esfriar).

Outros ingredientes:

3-4 ovos mexidos (frite em banha e quebre com o garfo em pedacinhos)

100 grs. de presunto picadinhos

3 galhinhos de cebola verde picadinha

Frite o arroz com a cebola verde. Junte metade da porção de minche, metade da porção de pedacinhos de ovos e metade da porção de presunto picadinho. Arrume o arroz frito numa travessa e, por cima, cubra com a outra metade do minche, ovos e presunto picadinho. Sirva com pickles.

foto do livro de culinária macaense de Cecilia Jorge

Espaguete e minche ao forno

Prepare minche com 1/2 kg   de carne moída e cebolinha.

Leve a cozinhar em água fervendo um pacote (aproximadamente 1/2 kg.) de espaguete bem fino (n.° 0). Escorra num passador, borrife água fria e deixe escorrer bem.

Outros ingredientes:

100 a 150 grs. de queijo parmesão ralado

10-12 azeitonas verdes  (cortadas fininhas)

1 folha de louro

1 cebola de tamanho médio

1/2 kg. de tomates maduros

2 colheres de sopa de massa de tomate.

Faca um bom refogado, junte o minche e as azeitonas. Cozinhe em fogo brando por uns cinco minutos. Despeje metade do refogado sobre o macarrão, junte umas colheres de queijo parmesão ralado e misture tudo muito bem.

Unte de manteiga uma forma que possa ir ao forno. Arrume nela 1/3 parte do minche refogado, polvilhe ligeiramente de queijo ralado, uma camada de espaguete, uma ligeira camada de minche, novamente queijo ralado, o restante de espaguete e, por cima. o minche. Polvilhe com parmesão ralado e, por cima de tudo, polvilhe com farinha de rosca. Vai ao forno quente por 1/2 hora, aproximadamente.

Nabo chau-chau porco

Corte em tiras fininhas um ou dois nabos. Faça um minche de porco com cebola verde, junte o nabo fininho e deixe cozinhar em fogo brando até amolecer o nabo. Precisando, pode-se acrescentar meia xícara (chávena) de água. Junte uma colher de sopa de molho de soja.

Pode-se fazer este chau-chau também com rabanas, repolho, ou vagens cortadas em tiras bem fininhas.

Com qualquer um desses pratos fica ótimo comer com o arroz branco; minche de carne com cebolinha e chouriço china cucús. O tipo que mais se aproxima ao chouriço china é a linguicinha sem pimenta bem curada.

Anúncios

2 comentários em “Minchi: 4 receitas da Alda Carvalho Ângelo

  1. Pingback: 2ª parte: “Quando Hong Kong foi bombardeada”, por Alda de Carvalho Ângelo | Crónicas Macaenses

  2. Pingback: “Quando Hong Kong foi bombardeada”, por Alda de Carvalho Ângelo ( 1 ) | Crónicas Macaenses

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 892.759 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de Macau de Todos os Tempos (02)

Imagens que trazem saudosas lembranças daquela Macau que não existe mais, mas que permanece viva na nossa memória e nas fotografias a seguir publicadas de forma aleatória, a procurar dar uma descrição a confirmar ou corrigir. O que vale mesmo é o que se diz – recordar é viver! As fotos são dos anos 50 […]

Memórias de Macau de Todos os Tempos (01)

Nesta postagem do que poderia chamar de uma série “Memórias de Macau de Todos os Tempos”, remetendo-me a um vídeo que publiquei no YouTube (vide no final), publico umas fotos antigas recolhidas ao acaso do meu extenso acervo, ora já publicadas no site (inativo) do Projecto Memória Macaense, ou não, e também já republicadas por […]

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

%d blogueiros gostam disto: