Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Gastronomia Macaense, Teatro em Patuá e Música Macaense, o que se noticiou …

Três notícias publicadas em questão de cinco dias no Jornal Tribuna de Macau, trouxe-me um panorama de três itens que fazem parte da cultura macaense: a Gastronomia Macaense, o Teatro em Patuá e a Música Macaense.  Os dois primeiros itens já estão eleitos como Património Cultural Intangível da RAEM (Região Administrativa Especial de Macau) e objetivam serem reconhecidos a nível da China e Mundial pela UNESCO. Agora a Música Macaense … ah … esta coitada, alguém se lembra dela? Alguém se preocupa com ela?  Alguém a prestigia? Acham que música não é um item da cultura macaense?

No entanto, Mário Lameiras comentou no grupo Conversa entre a Malta no Facebook: “O director dos Serviços de Turismo (DST) vai averiguar se tem havido cancelamento de convites à Tuna Macaense sem que o grupo tome conhecimento da solicitação e consiga decidir se pode ou não actuar. Costa Antunes mostrou-se surpreendido com as queixas dos elementos da Tuna que considera ser “um lindíssimo representante da cultura de Macau”.  

Vejamos então a primeira, publicada em manchete no dia 26 de Julho sobre o lamento da falta de apoio feito pela Tuna Macaense, que pela tradição, representa basicamente a música mais tipicamente macaense.  Competia ou compete com a Tuna Macaense, não sei direito se existe ainda, a Tuna de Macau composto por vários dos seus  elementos antigos que pelos vídeos que vi no You Tube, são ou eram mais tradicionais tocando com formação típica de vários bandolins.  Enquanto isso, fico no aguardo do lançamento do disco citado no rodapé do artigo, isto é, se vier a ser concretizado o apoio solicitado, embora não tão otimista pela elevação do custo, ainda mais que as entidades de Portugal andam preocupadas com a crise. É bom registrar que, salvo o lançamento de discos comerciais, excetuando aquelas de gravações particulares “sem fins comerciais“, de Armando Santos e dos The Thunders desde 2004, pelo menos eu não tenho notícias de algum novo disco “típico macaense”:

clicar para aumentar

Na mesma edição do dia 26 do Jornal, na última página, o grupo teatral Dóci Papiaçám di Macau ao mesmo tempo que comemorava o título de Património Cultural Intangível da RAEM para o Teatro em Patuá, por outro lado fazia as suas reclamações sobre um espaço definitivo para ensaios e maior apoio do Governo:

Parabéns ao Dóci Papiaçám pelos 19 anos (clicar para aumentar)

Agora, a Gastronomia Macaense, tem todos os motivos para pular de alegria pela notícia do dia 31 de Julho que vão ler abaixo, e estão de parabéns, pois é, pelo jeito, a única que tem mais reconhecimento pelas autoridades e outras entidades.  Afinal de contas mexe com um item que é “diveras gostoso“: comer … comer … comer … um “produto” fácil de se vender mundialmente.  Aliás numa enquete que fiz no Projecto Memória Macaense há uns anos atrás, os internautas elegeram, disparado, a Gastronomia Macaense em primeiro lugar:

clicar para aumentar

Há que se registrar que sendo o Brasil, um País de Língua Portuguesa, ou melhor dizendo, um País da Lusofonia, a divulgação da Gastronomia Macaense e do Teatro em Patuá por aqui é quase que inexistente, limitada, mas timidamente, às Casas de Macau.  O Patuá chegou a despertar certo interesse das Universidades brasileiras, especialmente aos estudantes de Letras no estudo da língua portuguesa de Macau.  Quanto à Gastronomia Macaense, somente os amigos brasileiros e chineses dos associados macaenses  tomaram conhecimento da nossa culinária quando convidados para as festas das Casas de Macau. Este blog com residência no Brasil, faz a sua parte procurando divulgar estes dois itens da cultura macaense e de Macau.  Espero que tenha contribuído com alguma coisa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.171.173 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

A primeira atividade oficial do Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 ocorreu no dia 23 de Novembro de 2019, num sábado, nas dependências do Jardim Infância D. José da Costa Nunes, como já vem acontecendo nos Encontros anteriores. No último Encontro que participei em 2010, o evento foi mais descontraído com apresentação de músicos tanto […]

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Em 2007, visitei o Museu do Grande Prémio de Macau e lá fiz várias fotos. Nesta postagem, o assunto é o piloto Rodolfo Ávila. Venha conhecê-lo melhor. Publicação e fotografias de/photos by Rogério P D Luz Texto extraído da enciclopédia livre – Wikipédia Rodolfo Freitas Silvério de Abreu Ávila nasceu em Lisboa no dia 19 […]

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A foto da estátua Ferreira do Amaral, em Macau, foi objeto de indagação feita ao autor deste blog por MJ Raydor no Facebook, que queria saber da sua história. Por desconhecê-la, coube ao Carlos Dias dar a resposta abaixo com publicação de uma imagem: “Tratava-se da Comissão Organizadora das comemorações de 102º. aniversário da Tomada […]

%d blogueiros gostam disto: