Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

“Jahú” o hidroavião que atravessou o Atlântico Sul em 1927

Fui rever o hidroavião Jahú, o original, no Museu TAM, em São Carlos, Estado de São Paulo, após a última vez nos anos 80 no extinto Museu da Aeronáutica no Parque de Ibirapuera.  Restaurado, após muitos anos de abandono e descaso, finalmente repousa, muito bem cuidado e no lugar apropriado junto com outras aeronaves históricas, no Museu das “Asas de um Sonho” do Comandante Rolim da TAM.

No histórico a seguir, compilado da Wikipedia, conheça a façanha do aviador João Ribeiro de Barros com seus companheiros em 1927, pois muitos devem conhecer o hidroavião mas não saber da sua história. Dois vídeos da You Tube mostram a chegada da aeronave no Rio de Janeiro e em São Paulo.

(fotografia de/photos by Rogério P.D. Luz)

Museu Tam aviao Jahu (03)

Jahú é um hidroavião Savoia-Marchetti S.55 (versão C), o último de seu modelo no mundo. Destacou-se por ser a aeronave com que João Ribeiro de Barros e mais três tripulantes (João Negrão como copiloto, Newton Braga como navegador, e Vasco Cinquini como mecânico), fizeram a terceira travessia aérea do Atlântico Sul – a primeira da história sem escalas – em 1927.

A primeira travessia do Oceano Atlântico foi realizada pela dupla John Alcock e Arthur Whitten Brown em 1919. A primeira travessia aérea do Atlântico Sul foi realizada pela dupla Gago Coutinho e Sacadura Cabral, em 1922, seguida pela de Ramon Franco e uma equipagem da Força Aérea Espanhola, no hidroavião Dornier DO J (Wahl) “Plus Ultra”.

Museu Tam aviao Jahu (04)

João Ribeiro de Barros

O primeiro aviador das Américas a realizar um voo transatlântico (Wikipedia)

JoaoRibeirodeBarros

Imagem da Wikimedia Commons

João Ribeiro de Barros (Jaú, 4 de abril de 1900 — Jaú, 20 de julho de 1947) foi um aviador brasileiro.

Com seus companheiros foi um dos pioneiros da travessia aérea do Atlântico Sul, no dia 28 de abril de 1927, a bordo do hidroavião Jahú. Os demais tripulantes foram Arthur Cunha (na primeira fase da travessia) e depois João Negrão (co-pilotos), Newton Braga (navegador), e Vasco Cinquini (mecânico).

Os quatro aeronautas partiram de Gênova, em Itália, até São Paulo na Represa de Guarapiranga, fazendo escalas em Espanha, Gibraltar, Cabo Verde, e Fernando de Noronha, já em território brasileiro.

Com os próprios recursos e sem nenhuma ajuda governamental, João Ribeiro de Barros adquiriu na Itália uma aeronave Savoia-Marchetti S.55 avariada e promoveu, com Vasco Cinquini, diversas reformas na mesma, melhorando assim a sua velocidade e autonomia. Tais reformas foram tão positivas para o desempenho do hidroavião que impressionaram os italianos. Anteriormente esteve na cidade de Nova Iorque onde aconselhou-se com seu amigo Gago Coutinho.

Esta mesma aeronave anteriormente fora utilizada pelo conde Casa Grande numa frustrada tentativa de travessia transatlântica Itália – Brasil. Esta tentativa foi interrompida em Casablanca na África e o avião foi considerado incapaz de realizar tal façanha. O aparelho, que saiu da fábrica com o nome original de Alcione, foi rebatizado por seu novo proprietário com o nome Jahú (de acordo com a ortografia da época) nome dado em homenagem à sua cidade natal, atual Jaú.

Museu Tam aviao Jahu antigamente (12)

Saiu de Gênova na Itália em 18 de Outubro de 1926, com destino às ilhas de Cabo Verde para iniciar a sua primeira travessia do Atlântico. Gago Coutinho e Sacadura Cabral também fizeram escala nestas ilhas na histórica primeira travessia aérea do Atlântico Sul, em 1922.

Seu avião foi sabotado, sendo assim necessária uma parada em Alicante, na Espanha, onde descobriu uma peça de bronze no cárter do aparelho,  além de água, areia e sabão no sistema de alimentação do motor. Provavelmente tal sabotagem ocorreu ainda na Itália antes da partida de Gênova.

Foi preso pela ditadura presente na época na Espanha, acusado de ali pousar sem permissão. Teve que ser libertado pelo cônsul do Brasil na Espanha.

Nova escala de emergência é feita em Gibraltar onde são feitos novos reparos.

Sofreu sabotagens, chantagens de companheiros, o desdém do presidente Washington Luís, mas perseverou, e às 4:30 h da manhã no dia 28 de abril de 1927, partindo de Praia na ilha de Santiago (Cabo Verde), cruzou o Atlântico com seus três companheiros a bordo do Jahú, que pousou triunfante às 17:00 h na enseada norte da Ilha de Fernando de Noronha.

O comandante Nisbet do navio italiano Angelo Toso testemunhou a amerissagem do Jahú. Este comandante atestou que nos tanques da aeronave ainda restavam 250 litros de combustível.

Apesar de um dos motores apresentar problemas durante a viagem e enfrentar chuva, conseguiu estabelecer um recorde de velocidade que só foi batido alguns anos depois.

Museu Tam aviao Jahu antigamente (10)

Após essa etapa, foi pousando em cada uma das grandes cidades do litoral, (Natal, Recife, Salvador, Rio de Janeiro, Santos e São Paulo), onde foi recebido com grandes festas e honras.

O avião foi restaurado e hoje está exposto no Museu TAM, ou Museu Asas de um Sonho, em São Carlos – SP. Trata-se da única aeronave transatlântica da época que ainda existe e está com sua configuração original.

Museu Tam aviao Jahu (06)

Segundo o historiador Luís da Câmara Cascudo (no livro No Caminho do Avião… Notas de Reportagem Aérea 1922-1933), o JAHÚ amerissou no Rio Potengi, na cidade de Natal, no dia 14 de maio de 1927, completando sua travessia sobre o Oceano Atlântico.

Museu Tam aviao Jahu antigamente (11)

Histórico no Museu TAM

Histórico no Museu TAM

Museu Tam aviao Jahu (09)

Museu Tam aviao Jahu (05)Museu Tam aviao Jahu (01)

Museu Tam aviao Jahu (02)

Museu Tam aviao Jahu (03)

Museu Tam aviao Jahu (07)

Vídeo da chegada do Jahú ao Rio de Janeiro

Vídeo da chegada do Jahú a São Paulo

Outras ligações sobre o Jahú:

* A chegada do Jahú a Santos, em 1927: http://www.novomilenio.inf.br/santos/h0058h1.htm

* O “JAHÚ” em São Paulo: http://almanaque.folha.uol.com.br/cotidiano_01ago1927.htm

* Sobre o jauense João Ribeiro de Barros: http://www.gentedanossaterra.com.br/joao_ribeiro_de_%20barros.html

* A primeira travessia aérea do Atlântico Sul foi concluída com sucesso pelos aeronautas portugueses Gago Coutinho e Sacadura Cabral, em 1922, no contexto das comemorações do Primeiro Centenário da Independência do Brasil:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Primeira_travessia_a%C3%A9rea_do_Atl%C3%A2ntico_Sul

* As fotos antigas e o desenho foram recolhidos da Google Imagens sem fonte definida.

Anúncios

Um comentário em ““Jahú” o hidroavião que atravessou o Atlântico Sul em 1927

  1. Jorge E. Robarts
    10/03/2014

    Muito interessante e cultural este relato da travessia do Atlantico Sul. São coisa históricas que a gente vai aprendendo aos poucos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 682,996 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Viajar ao passado de Macau, dos belos tempos dos anos 60 e 70, é o que nos proporciona o vídeo “Macau 70”, produzido pela RTP Rádio e Televisão Portuguesa. A comemorar 70 anos, a RTP disponibilizou no seu website os arquivos para consulta ‘on-line‘ e Macau está presente numa das suas seções. Na apresentação do […]

%d blogueiros gostam disto: