Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

Notícias da comunidade macaense de São Paulo e da Casa de Macau

Do início de ano 2014 até este mês de maio, a comunidade macaense de São Paulo viveu na sua Casa de Macau diversas atividades e acontecimentos que, certamente, determinaram e traçaram o seu futuro. Além de festas, como o Ano Novo Chinês, Dia das Mães e de Nossa Senhora de Fátima, os macaenses paulistanos vivenciaram uma mudança significativa nos Estatutos, a visita do presidente da Fundação Oriente, proprietária do imóvel sua sede, Carlos Monjardino, eleições e principalmente uma notícia – o início das conversas para a venda da imóvel.

Vamos então por etapas dos acontecimentos:

Casa Macau S.Paulo Dia Maes (06)

As mães cantaram parabéns para elas mesmo

11/maio/2014 – Dia das Mães e Dia comemorativo de Nossa Senhora de Fátima

Já é uma tradição de há anos a festa do Dia das Mães e do dia comemorativo de Nossa Senhora de Fátima, por conta da aparição em Fátima no dia 13 de Maio.  O dia dedicado às Mães acontece no segundo domingo de maio, que acaba ficando próximo do dia de Nossa Senhora.

O cardápio do dia era:

  • Bacalhau à Brás
  • Paleta de cordeiro assada
  • Galinha à Portuguesa (Baked Chicken à La Portuguese), além de verduras, legumes, saladas, bolo em homenagem às Mães e sobremesa.

A Casa de Macau, já sob nova administração de Frederico António e seus três colaboradores diretos (vide matéria), além da degustação, e a galinha à portuguesa estava uma delícia, pois só o molho dava para comer um pratão de arroz, imagine com a galinha, batatas etc., assistiu a dois jovens lerem mensagens às mães, que ganharam seus presentes.  Depois os associados participaram de um bingo sem fins lucrativos, tendo antes cantado “parabéns a você” às mães e se deliciado do bolo comemorativo.

Após a procissão, uma pausa para foto de lembrança e em seguida o sacerdote rezou a missa

Após a procissão, uma pausa para foto de lembrança e em seguida o sacerdote rezou a missa. Frederico António, o novo presidente, segura a imagem de Nossa Senhora de Fátima.

Antes, no início da manhã, foi realizada uma procissão com a imagem de Nossa Senhora de Fátima em torno do prédio da sede, para em seguida ser celebrada a missa

Como já vem acontecendo há algum tempo, as festas estão acontecendo na sede ou o casarão, pois o ginásio não está sendo utilizado, tanto por economia, como pela necessidade de passar por reformas estruturais que ora se questiona, se vale a pena dispender um bom dinheiro porquanto se fala da venda do imóvel, embora um processo ainda a demorar por um bom tempo (vide matéria).

Associados viveram o dia das eleições em março de 2014

Associados viveram o dia das eleições em março de 2014

Novos Estatutos e Eleições Gerais

Por proposta da antiga Direção, foi realizada uma Assembléia Extraordinária no início do ano de 2014 onde foram aprovados os novos Estatutos.

As alterações foram profundas, a meu ver, com a extinção do cargo de vice-presidente, alteração da denominação de dois cargos, a limitação de movimentação financeira pela Diretoria Executiva com o estabelecimento de um limite financeiro por “contrato” ou cheque ou destinação, e a maior:  a criação do Conselho Deliberativo Permanente (“permanente” para não dizer vitalício).

Para o Conselho, que extinguiu o Conselho Consultivo mas manteve o Fiscal, porém nomeado pelo Órgão, em termos: “acompanhará” o trabalho da Diretoria Executiva, discutirá assuntos de relevância, como a venda da sede, essas algumas das suas funções que não vou tratar do assunto por ora, já que precisava ver a sua operacionalidade com base do que consta dos Estatutos.

No entanto, uma das suas tarefas seria também de preencher o vácuo administrativo numa situação, que já ocorreu, da falta de uma chapa/lista candidata à Diretoria Executiva, ao término do mandato da última diretoria. Isto em termos seria; o mandato da última diretoria termina em 31 de março, porém após convocações para apresentação de chapas para eleições ninguém se apresenta como candidato. Como fica? Quem responderia pela administração da Casa a partir de 1º de abril se o último presidente não quer se recandidatar? Pelos Estatutos, o novo Conselho nomearia administradores dentre seus membros até que surja uma chapa, se realizem as eleições e a nova Direção assuma. Isto é um problema crônico das Casas de Macau: a falta de candidatos para a Direção. Percebe-se casos em que a diretoria atual acaba se recandidatando para evitar este vácuo administrativo que praticamente obrigaria o fechamento da associação ou uma intervenção de alguém de direito, se houver. Mesmo assim, teria que ter algum “valente(s)” a tomar a iniciativa para ser o último a apagar as luzes. Daí que o eleito para o Conselho tem que estar consciente da sua missão dentro do Órgão, pois esses valentes terão que ser eles, teoricamente.

Dez conselheiros foram eleitos individualmente, além do presidente do Conselho que foi nomeado nos Estatutos sendo aquele último que presidiu a Diretoria Executiva.  Assim sendo, esses conselheiros, a rigor, são independentes, tal como na política, o Legislativo com seus deputados eleitos.  Porém o presidente do Conselho nomeará seus dois vice-presidentes.

Candidatei-me a uma dessas dez vagas e consegui ser eleito.  Apesar de discordar da sua característica de “vitalício“, que diz: “ficarás no cargo até a sua morte ou renúncia“, entendi que tinha que estar lá dentro para todos os efeitos e finalidades, com intuito de poder contribuir para o bem da associação e dos seus associados.  Por ética, não fiz “campanha eleitoral” por aqui neste blog, pois na verdade não surtiria efeito dependendo de quem são os visitantes, se envolvidos ou não na eleições. Gostaria de um dia poder ceder a minha vaga a um novo eleito em novas eleições gerais, se a regra assim o permitisse mas não por enquanto, dando espaço para renovação de ideias e de formas de trabalho. Não compartilho com o princípio de cargos vitalícios, pois já me remete às más experiências de governos do mundo que o praticam. Acredito em democracia com renovação de quadros em todos níveis por eleições gerais. Até na China, de partido único, o mandatário não tem cargo vitalício. Mas nem por isso vou atrapalhar o andamento do trabalho do Conselho e sigamos em frente pois a Casa e seus associados têm pressa: estamos em geral já envelhecidos e há que se ver a participação dos jovens e aqueles que já o deixaram de ser não há muito tempo. Que Nossa Senhora de Fátima nos ilumine para um bom e proveitoso trabalho pela associação.

A mesa que fez a contagem dos votos

A mesa que fez a contagem dos votos

Os Estatutos que foram aprovados na Assembleia Extraordinária tiveram que sofrer adaptações de texto, por exigência do Cartório de Registro de Documentos. Tanto que não é exatamente igual àquele que foi apresentado para votação, sugerindo ao associado que estiver interessado em ver as alterações que contate a Casa, ou veja no quadro de avisos se estiver lá afixado. Na essência, o Estatuto finalmente registrado em Cartório, mesmo com as alterações, não muda a proposta da inicial. Foram inseridos textos que constavam do anterior mas não transcritos no novo, e o Cartório assim o exigiu e só aceitou após várias tentativas de registro com novo documento. Sei do rigor deles, pois já passei por isso quando era membro de direção em gestões anteriores.

Por fim, nas eleições gerais promovidas em março de 2014, apenas com a inscrição de uma chapa/lista, a Diretoria Executiva que foi eleita para o próximo triênio a partir de 1º de abril é composta por Frederico António como presidente, José de Almeida no cargo de Diretor Financeiro, Yolanda Luz Ramos como Diretora Administrativa e Patrimonial e Manuela Canavarro Agoston na pasta de Diretoria Social e Cultural.  Frederico era diretor financeiro na gestão anterior, além de webmaster do site da associação. É a sua primeira vez como presidente.

Com a minha tomada de posse do cargo de Conselheiro do referido Conselho Deliberativo Permanente, atrasada pelo registro em Cartório da Ata de eleição, fico mais à vontade para fazer postagens sobre as atividades da associação, para além de prestar contas aos meus eleitores, também com o intuito de contribuir com o que for para o seu bem, seu futuro, com os olhos na continuidade com participação de todos os associados e aqueles tantos que o deixaram de ser, mas que podem voltar a ser, sem falar nos jovens que pergunto “onde estão vocês?”.

O comunicado da Direção sobre as negociações para venda e compra do imóvel da Casa de Macua

O comunicado da Direção sobre as negociações para venda e compra do imóvel da Casa de Macua

Venda e Compra de Novo Imóvel para Sede da Casa de Macau de São Paulo

Finalmente, após muitos anos, o presidente da Fundação Oriente, Carlos Monjardino, voltou a visitar a Casa de Macau de São Paulo. Tinha também a missão de vir discutir pessoalmente a proposta da Direção para venda do atual imóvel com 5000 m2 e quatro prédios. Ouviu as justificativas e acabou concordando com a venda e compra no seu lugar, de um a três imóveis menores, talvez interligados e dependendo do tamanho.  A explicativa do comunicado (veja a foto) da Direção, que estava exposto no quadro de avisos no dia das eleições, é bastante explícito sobre as conversas e o acordado.

Há anos que venho batendo nesta tecla em conversas na associação e com os amigos, além de ter escrito no JTM. Defendo a tese que precisamos negociar a venda e compra de uma sede menor, próprio para o tamanho da nossa associação e nº de associados. Ouvi muita rejeição como a ouço ainda.  Diria que muitos concordam com a ideia mas com aquela ponta de dó no coração. Numa visão geral, o espaço é grande, ao lado de uma represa com bela vista, o imóvel principal é um imponente casarão antigo, por fim, um lugar agradável que muitos até sentem orgulho dele.

Carlos Monjardino fala para os associados

Carlos Monjardino fala para os associados

Uma vez escrevi no Jornal Tribuna de Macau, por ocasião da visita de dois professores chineses falantes da língua portuguesa, que a sede da associação era um ponto turístico visitado por visitantes de Macau e de outras Casas do exterior que se surpreendem e elogiam o local.  É comum ouvir dizer que a sede da Casa de Macau de São Paulo é “a menina de olhos da F.O.”, motivo de orgulho da Fundação. Foi adquirida no final dos anos 80 por cerca de 700 a 800 mil US$, salvo erro meu e que me corrijam.

Hoje, certamente, se achar o comprador certo deverá ter um bom retorno financeiro do que foi investido, pois além da valorização natural, foram construídos por iniciativa da associação, um ginásio, um prédio com vários apartamentos, uma piscina e uma churrasqueira grande.

Único detalhe complicador é que não se pode construir mais no local por restrições ambientais. Os fundos dão para a Represa de Guarapiranga.  Assim, uma incorporadora não poderia lá construir prédios residenciais ou comerciais, o que seria bem almejado pela vista e local aprazível. O comprador não seria alguém que o quisesse para ser sua residência ou casa de lazer: é muito grande.  Talvez o seu perfil seria de alguma empresa para realizar suas atividades de treinamento com acomodações para os alunos, ou escola, ou para eventos, ou um clube. Não saberia avançar nessa especulação.  A venda não aparenta ser muito fácil pela limitação de uso do local, mas toda venda está sujeito a achar a pessoa certa para o lugar certo, e isto pode acontecer no dia seguinte se der sorte.

Na verdade, administrar uma Casa de Macau já é trabalhoso e difícil, agora, se ela ficar num espaço de 5000 m2 com tantos prédios, ainda mais complicado.  Com isso, se para uma pequena sede já é difícil achar candidatos para as eleições, quanto mais com um local desse tamanho? É como administrar uma empresa e ter tempo para isso, o que já limita às vezes o candidato tendo quer ser aposentado e ter condução própria, pois fica longe e o transporte público é precário.  Fica a cerca de 30 km do centro da cidade (demora mais que ir de Macau a Hong Kong) e bem longe de uma estação de metropolitano. Quem pretende tomar um táxi por lá, está sujeito a fica um bom tempo nessa tentativa. Passam poucos: não é uma rota de circulação para apanhar passageiros. Daí, com a idade avançando, muitos associados da terceira e quarta idade encontram dificuldades para chegar à associação, se não tiverem quem o levem ou que ainda possam conduzir um carro.

Todo esse processo pode durar um bocado de tempo: meses ou mais de ano, dependendo das próximas iniciativas a serem tomadas pela F.O. e todo o processo de venda e achar o comprador, fora de também identificar o local ideal para a nova sede, de fácil acesso e próximo aos meios de transporte, e mais próximo da região central.  Até chegaram a aventar o bairro oriental de Liberdade, no centro, com muitos restaurantes chineses.  Para mim seria uma boa!

O importante que o primeiro passo foi dado e a concordância obtida para a proposta. Resta ficarmos sentados à espera das iniciativas da F.O., e enquanto isso, se vocês do exterior, tiverem vontade de conhecer esta sede chamada de modelo de uma Casa de Macau (apesar de não ser ideal) aproveitem se estiver de passagem pelo Brasil.

Festa do Aniversário da Casa vai ser em 27/07/2014

A Copa do Mundo mudou também a programação das festas da Casa de Macau. Antes programada para o dia 22/junho, a festa do Dia de Macau (de São João Baptista) e a comemoração das Bodas de Prata pelos 25 anos de fundação da Casa de Macau, foi alterada para se realizar no dia 27/julho/2014, após a Copa. Fica a data mais próximo do efetivo aniversário no dia 31.

Mais fotos da festa do Dia das Mães

Casa Macau S.Paulo Dia Maes (05)

Leitura de mensagem para as mães

Leitura de mensagem para as mães

Leitura de mensagem para as mães

Leitura de mensagem para as mães

As mães foram presenteadas por Frederico António

As mães foram presenteadas por Frederico António

Casa Macau S.Paulo Dia Maes (07)

 

As fotos abaixo foram publicadas na postagem “Retratos Macaenses”, tiradas na festa do Dia das Mães 2014:

 

* Texto e fotografias por Rogério P.D. Luz (autor do blog e conselheiro do Conselho Deliberativo Permanente da Casa de Macau de São Paulo)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 27/05/2014 por em Semestre 1 2014 e marcado .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 717,483 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

%d blogueiros gostam disto: