Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Macau: as antigas vivendas da Av. Sidónio Pais

VIVENDAS DA AVENIDA SIDÓNIO PAIS

Magnífico conjunto de moradias Art Deco construídas em 1950, no quarteirão compre­endido entre as avenidas Horta e Costa e Ouvi­dor Arriaga, as vivendas da Av. Sidónio Pais foram sendo demolidas tendo desaparecido por completo em meados dos anos 80.

* Reprodução de publicação do livro “Cem Anos que Mudaram Macau” de autoria de Sérgio Infante, Rogério Beltrão Coelho, Paula Alves e Cecília Jorge”, edição do Governo de Macau em 1995

Macau Av Sidonio Pais vivendas (1)

Ca 1950

Conforme o livro Cadastro das Viás Públicas e Outros Lugares da Cidade de Macau de 1957 (Leal Senado da Câmara Municipal de Macau), a Avenida de Sidónio Pais (Ref: B. de 1-2-1919) que pertence à Freguesia da Sé chama-se em chinês-cantonense: Si Tó Niu Pái Si – Tái Má Lou (avenida) e possuía 28 poços particularesNa via estava localizada a Enfermaria Militar (antigo Quartel da Flora), e também a Piscina Municipal, Escolas Primárias Oficiais “Pedro Nolasco da Silva” e Escola Infantil “Dom José da Costa Nunes”.  Primitivamente, chamava-se Estrada da Flora.

O local em 1995

O local em 1995

31/05/2015: Interessante que esta postagem despertou interesse de muita gente e algumas recordações em comentários no Facebook feitos por Carlos Alberto Carvalho, Rigoberto Rosário Jr “Api” e Jorge Eduardo Robarts “Giga”.  O Api contou as suas vivências nas vivendas: “eram 5 casas, e quem morava na mesma casa da família Coutinho era a família Évora, que eu brincava muito com os irmãos Drs. Humberto e Mário, al´em de assistir filmes de longa metragem no terraço, providenciado pelo Sr. Coutinho. Eu morava na segunda casa. O sr. Johnny Álvares morava na terceira casa, no primeiro andar. O andar de baixo era a sala de ensaio da orquestra filamórnica do Dr. Pedro Lobo, onde eu assistia todos, porque o meu avô materno tocava flauta transversal nela e no terraço funcionava a estação da rádio amador do sr. Álvares, possuindo uma enorme antena. A família Fu ficava logo ao lado, que depois de décadas foi contratado como músico pelo filho dele (pessoalmente e me lembrava como ex-vizinho) para trabalhar no extinto Hotel Furama em Hong-Kong (propriedade dos Fu), vizinho ao prédio de Cable and Wireless. A quinta casa morava um parente do famoso piloto Albert Poon, razão em que esse piloto hospedava aí nas temporadas das corridas. Eis a historinha mais detalhada“.

Foto postado por Carlos Alberto Carvalho

Foto postada por Carlos Alberto Carvalho no Facebook

A foto acima postada por Carlos Alberto Carvalho que recorda, citando o Api: “na extrema direita está o teu irmão (Ricky Rosário). Teatro com Pe. Álvaro e o Mestre Marongio. Que saudades, meu amigo…”. O Api em resposta recorda também: “obrigado Carlos pela foto que traz muitas lembranças. Tu eras um dos actores principais das peças e eu gostava imensamente de assisitir todas elas. Lembro-me que o Pe. Mauricio fazia sempre o papel de Satanás e um dia a sua capa pegou fogo no palco. Outra vez foi o mestre Martins que engoliu a gasolina (acidentalmente) quando cuspia fogo para o Mauricio”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 24/05/2015 por em Av.Sidónio Pais e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.465.778 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Dia de Macau – 24 de Junho de 2022 celebra 400 anos da maior derrota dos holandeses no Oriente, e Manuel V. Basílio nos conta como foi

Hoje, 24 de Junho de 2022, comemora-se 400 anos de “A Maior Derrota dos Holandeses no Oriente” na sua tentativa de tomar Macau dos portugueses. Até a transição de soberania de Macau, de Portugal para a República Popular da China, em 20 de Dezembro de 1999, a data era comemorada como “DIA DE MACAU” ou “DIA DA […]

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

%d blogueiros gostam disto: