Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

24 de Junho – Dia de Macau

Bandeira (histórica) de Macau. Bandeira do Leal Senado

Bandeira (histórica) de Macau. Bandeira do Leal Senado

24 de Junho é Dia de Macau. A data que celebra a origem dos macaenses, a permanência dos portugueses na península ao Sul da China por cerca de 420 anos,  a transição pacífica de soberania e o retorno de uma cidade à nação chinesa com um legado que hoje é uma referência do sistema adotado de “um País, dois Sistemas”.

Então, não há como não celebrar a data, se não em Macau, mas pelas comunidades macaenses/portuguesas. Pois se antigamente se celebrava a data, e era feriado em Macau, como deixar de fazê-la se prezamos pelo princípio de preservação da nossa identidade, cultura e tradições? Não basta dizer que quer preservar o minchi, a gastronomia macaense ou o patuá, se ignora suas datas representativas, qual seja o motivo.

Este é o pensamento do Projeto Memória Macaense e do Crónicas Macaenses, tanto que, anualmente, a data é lembrada aqui e hasteada a nossa bandeira histórica, sem receio e sem ofensa a ninguém ou a uma nação.

Certamente, com a invasão bem sucedida pelos holandeses a Macau, a cidade teria se tornado numa colónia da Holanda, que, ao abandoná-la, não teria deixado nenhum legado, tal como fizeram os portugueses e que após 15 anos da transição, ainda marca a sua presença e é um diferencial do território.

* Veja a narrativa desta invasão holandesa em 1622 bem detalhada por Montalto de Jesus no seu livro Macau Histórico, nesta ligação: https://cronicasmacaenses.com/2015/06/29/a-invasao-de-macau-em-24-de-junho-de-1622-narrada-por-montalto-de-jesus/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 891.315 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de Macau de Todos os Tempos (02)

Imagens que trazem saudosas lembranças daquela Macau que não existe mais, mas que permanece viva na nossa memória e nas fotografias a seguir publicadas de forma aleatória, a procurar dar uma descrição a confirmar ou corrigir. O que vale mesmo é o que se diz – recordar é viver! As fotos são dos anos 50 […]

Memórias de Macau de Todos os Tempos (01)

Nesta postagem do que poderia chamar de uma série “Memórias de Macau de Todos os Tempos”, remetendo-me a um vídeo que publiquei no YouTube (vide no final), publico umas fotos antigas recolhidas ao acaso do meu extenso acervo, ora já publicadas no site (inativo) do Projecto Memória Macaense, ou não, e também já republicadas por […]

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

%d blogueiros gostam disto: