Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

A Bebinca segundo Cecília Jorge com 4 receitas de bebinca de rábano e de leite

Dando sequência à postagem anterior (clicar aqui para ver) em que Cecília Jorge fala sobre o Arroz e dá a receita de Arroz Pilau, no mesmo artigo do Tacho do Diabo, também explica sobre a origem da Bebinca ou Bebinga e publica quatro receitas de bebincas de rábano e de leite. Veja:

Cecilia Jorge bebinca

A BEBINCA

de Cecília Jorge – Revista Macau edição de Agosto de 1992

Desconhece-se o porquê do seu nome, sabendo-se apenas existir um doce homónimo (de preparo diferente) na tradição doceira de Goa, de onde. aliás, pode ter vindo, depois de uma viagem a partir de algures em Portugal, onde há séculos as diligentes freiras nos conventos, e mosteiros, se esmeravam a preparar uma versão muito semelhante: o manjar branco. Existem várias receitas de bebinca ou bebinga, para designar coisas, por vezes, sem qualquer ponto coincidente, umas doces, outras salgadas. Assim, temos a bebinca de leite e a bebinca de arroz pulu, onde á única variante é a farinha, fécula de milho ou farinha de arroz; e as bebincas de nabo, de rábano, de inhame e de batata doce, onde, desta feita, a única coincidência é, também, a farinha de arroz.

Escolhemos duas versões das duas receitas mais conhecidas e também por isso, mais fáceis de confeccionar: a bebinca de leite e a bebinca de rábano, esta última inspirada num petisco festivo dos chineses, o ló-pak-kou, que os macaenses se habituaram a associar às festividades do Ano Novo Lunar, altura em que é mais consumido, sendo de presença obrigatória nas mesas postas.

AS RECEITAS DE CECÍLIA JORGE

BEBINCA DE RÁBANO (I)

Rábanos – 1,5 quilo

farinha de arroz – 500 gramas

chouriço chinês (de)fumado – 2

cogumelos chineses secos – 6

carne de porco (febra) – 100 gramas

camarão seco, cebolinho, banha, coentros,

sementes de sésamo, sal, pimenta – q.b. (a gosto)

Descascar e ralar os rábanos. Demolhar os cogumelos em água fervente durante 10 minutos, lavar e cortar em tirinhas. Demolhar os camarões em água quente, passar por água fria e coar. Lavar os coentros e o cebolinho, cortar em pedaços. Cortar o chouriço fumado em rodelas muito finas. Temperar, fritar a carne de porco e cortá-la em pedacinhos.

Aquecer duas colheres de sopa de banha num tacho largo e fritar o rábano em lume moderado, deixando amolecer com o tacho tapado sem cozer demasiado. Retirar do lume e juntar ao rábano a farinha de arroz, aos poucos, para não fazer engulhos. Temperar entretanto com sal e, querendo, com parte dos ingredientes como sejam os pedaços de porco, cogumelos, camarão, e rodelas de chouriço, tendo o cuidado de reservar parte para depois. Untar uma forma de alumínio ou folha com banha e colocar a massa de rábano, carregando e espalhando bem para ficar compacta. Alisar a parte de cima com as costas de uma colher oleada e espalhar o resto do porco, cogumelos, camarão, rodelas de chouriço e ainda sementes de sésamo, cebolinho e coentros. Cozer em banho-maria durante cerca de uma hora, ou até quando, espetando e retirando um palito, a massa não se colar.

A bebinca pode ser comida quente, mas fica mais saborosa deixando esfriar, e fritando em fatias. Comer com molhos de soja e picante.

– – – – –

BEBINCA DE RÁBANO (II)

Rábanos – 1,5 quilo

farinha de arroz – 300 gramas

presunto e chouriço chinês (picados)

cebolinho e coentros (cortados em bocados pequenos)

sementes de sésamo, sal, pimenta,

banha   q.b. (a gosto)

Descascar e ralar os rábanos, deixando-os ficar num recipiente onde não se perca o suco. Derreter a banha num tacho e acrescentar o rábano e a farinha, temperando com sal e pimenta. Colocar a massa numa forma de alumínio ou folha untada e cobrir com o presunto e o chouriço picado, o cebolinho e os coentros e o sésamo.

Cozer em banho-maria durante uma hora. Comer quente.

– – – – –

BEBINCA DE LEITE (I)

Ovos – 8 gemas

Açúcar – 125 gramas

leite condensado – 1 lata

fécula de milho – 100 gramas

Coco (ralado e escaldado em 5 chávenas/xícaras de água) – 1

manteiga (derretida) – 125 gramas

Diluir a fécula na água do coco. Juntar-lhe o leite condensado, o açúcar e as gemas desfeitas. Misturar bem, passar por uma peneira e levar numa panela a lume brando, mexendo sempre.

Quando estiver quase a ferver, adicionar pedacinhos de manteiga.

Deitar numa forma previamente molhada e deixar esfriar antes de meter no frigorífico/geladeira.

(Pode-se igualmente colocar numa travessa e levar ao forno para tostar).

– – – – –

 BEBINCA DE LEITE (II)

Coco ralado – 500 gramas (escaldado em duas chávenas/xícaras de água)

fécula de milho – 1chávena/xícara

açúcar – 1 chávena/xícara

ovos – 6 gemas

Aproveitar apenas a água do coco, coando e espremendo bem num pano. Juntar à água de coco, o acúcar, a fécula e as gemas de ovo e levar a panela a lume brando, mexendo para não colar ao fundo. Deitar numa forma previamente molhada e deixar esfriar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.161.758 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 – Recepção de Boas Vindas

A primeira atividade oficial do Encontro das Comunidades Macaenses Macau 2019 ocorreu no dia 23 de Novembro de 2019, num sábado, nas dependências do Jardim Infância D. José da Costa Nunes, como já vem acontecendo nos Encontros anteriores. No último Encontro que participei em 2010, o evento foi mais descontraído com apresentação de músicos tanto […]

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Rodolfo Ávila no Museu do Grande Prémio de Macau em 2007

Em 2007, visitei o Museu do Grande Prémio de Macau e lá fiz várias fotos. Nesta postagem, o assunto é o piloto Rodolfo Ávila. Venha conhecê-lo melhor. Publicação e fotografias de/photos by Rogério P D Luz Texto extraído da enciclopédia livre – Wikipédia Rodolfo Freitas Silvério de Abreu Ávila nasceu em Lisboa no dia 19 […]

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A estátua Ferreira do Amaral no aniversário da Tomada de Passaleão em 1951

A foto da estátua Ferreira do Amaral, em Macau, foi objeto de indagação feita ao autor deste blog por MJ Raydor no Facebook, que queria saber da sua história. Por desconhecê-la, coube ao Carlos Dias dar a resposta abaixo com publicação de uma imagem: “Tratava-se da Comissão Organizadora das comemorações de 102º. aniversário da Tomada […]

%d blogueiros gostam disto: