Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Rigoberto Rosário Jr. “Api” lança o seu CD “Olá, Macau”

Novo cd de Rigoberto Rosário Jr. "Api"

Novo cd de Rigoberto Rosário Jr. “Api”

(texto revisto em 20/11)

Finalmente o autor da canção “Macau (terra minha)”, Rigoberto Rosário Jr., o Api, grava o seu primeiro CD solo – “Olá, Macau” e fez o seu lançamento em São Paulo, na Casa de Macau de São Paulo no dia 10 de Novembro passado. Fazia tempo que não se lançava um disco cujo tema era Macau e o CD do Api acaba de quebrar este jejum.

Doze músicas das suas mais de 70 composições foram escolhidas para o repertório do disco, que será colocado para venda em Macau. Api diz: “são músicas dedicadas a Macau com exceção de duas – Painting the World e My Little Boy, cantadas em português, patuá e em inglês”.

Pensou em gravar a última canção do CD – Nôs Sã Encontro – em chinês-cantonense que foi escrita pela esposa Margareth, porém achou que a sua pronúncia não estava 100%, daí converteu as letras para o patuá.  Lamentou muito por não poder dedicar pelo menos uma canção aos chineses de Macau, aventando dessa possibilidade num novo CD, isto é, se tiver chance e apoio para gravação de um segundo disco no futuro.

Rigoberto Rosario Jr capa CD (02)

O Rigoberto, cantor e compositor desde a sua juventude em Macau, nasceu na Cidade do Nome de Deus e emigrou para o Brasil nos anos 70.  Fazia parte do antigo conjunto The Thunders quando da gravação do disco de vinil “Macau” que fez muito sucesso na época, e até hoje é considerada pela comunidade macaense como seu hino e da Macau antiga. Para lembrar, os Thunders juntaram-se novamente para, exclusivamente, gravar o CD lançado por ocasião do Encontro das Comunidades Macaenses de 2004, ocasião em que fizeram a sua apresentação no estilo “revival”.

Há tempos que ele procurava apoio para gravar seu disco solo, e o assunto até foi objeto de postagens neste blog e no site Projecto Memória Macaense.  E a sorte veio quando, através da Casa de Macau de São Paulo que encaminhou o pedido, conseguiu obter patrocínio do Instituto Internacional de Macau.  A entidade de Macau vai fazer o lançamento do CD em Macau por ocasião do evento próprio que irão promover no Encontro das Comunidades Macaenses de 2013, que terá início no próximo dia 30. O Rigoberto estará presente no evento.  Pena que o autor deste blog e do site Projecto Memória Macaense não estará lá, e nem no Encontro 2013, para registrar o acontecimento.

Mesmo que o disco venha a ser comercializado em Macau, o Api diz que “não passa pela minha cabeça e nem tenho nenhuma intenção de ganhar dinheiro com o disco”, justificando ainda: “a minha intenção é oferecê-lo de presente aos habitantes e amigos de Macau e às comunidades da diáspora macaense”.  Revela que, por isso, a arrecadação com a vendagem do disco na apresentação ocorrida na Casa de Macau, que foi bastante satisfatória, foi doada à associação macaense local.

A gravação inicial do disco foi realizada no seu “home studio”, e toda a produção, como os arranjos e a execução, foi por sua conta com o apoio da “Bandapi”.  Mas, o que é isso de a Bandapi? É uma banda formada por onze músicos, todos chamados Api, ou seja, o Rigoberto tocou todos os instrumentos individualmente e depois mixou-os com a sua voz.  Para registrar isso produziu um divertido cartaz montado com fotografias de todos os músicos com o seu rosto.

Bandapi, é Api na guitarra, Api no baixo, Api na bateria, Api no sax, Api  nos teclados, Api no violino ... Api isso, Api aquilo, enfim tudo Api.

BANDAPI, é Api na guitarra, Api no baixo, Api na bateria, Api no sax, Api nos teclados, Api no violino … Api isso, Api aquilo, enfim tudo Api.

O disco na sua etapa final foi mixado num estúdio profissional “Estúdio On-Line”  por Clineu Conselheiro e Mário Vasconcelos.  O design e finalização da capa coube ao seu filho Rodrigo do Rosário e as fotos de Macau foram oferecidas por Rogério P.D. Luz, autor deste blog.

Anúncios

Um comentário em “Rigoberto Rosário Jr. “Api” lança o seu CD “Olá, Macau”

  1. Jorge Robarts
    20/11/2013

    Meus sinceros parabéns Api. És um músico multifacetado com capacidade de tocar em + de meia dúzia de instrumentos musicais, o que é de tirar o chapéu. Foi o que eu sempre disse: “O macaense é muito inteligente e habilidoso, mas sempre mal aproveitado.” Mas, a vida continua e a maioria de nós está bastante bem, é o que interessa. Abração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 787,915 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

%d blogueiros gostam disto: