Cronicas Macaenses

Blog-magazine de Rogério P. D. Luz, de cara nova

Procissão de Nosso Senhor dos Passos em Macau 2014

Duas tradicionais procissões ainda realizadas em Macau, após a transição de soberania há 14 anos, a do Senhor dos Passos e de Nossa Senhora de Fátima, fazem a comunidade católica, macaense e portuguesa respirar aliviada pela preservação. Até quando? Não se sabe, mas pelo “andar da carruagem” tem tudo para ir longe pelo bom senso que ainda reina a respeito.  Até o título da reportagem no Jornal Tribuna de Macau espelha bem o sentimento e preocupação: “A tradição ainda é o que era“.

Em 2014, repetiu-se a tradição nos dias 8 e 9 de Março.  A comunidade católica pode acompanhar a procissão no sábado com a ida da imagem de Nosso Senhor dos Passos à Sé Catedral.  No domingo, com a participação de maior número de fiéis, a imagem retorna para a Igreja de Santo Agostinho. Para explicar este ritual, conta-se outrora que “quando esta estátua foi levada para a Sé Catedral pelas autoridades religiosas, ela, milagrosamente, retornou sózinha ao altar desta igreja, pelo que ainda hoje se realiza, anualmente, a Procissão do Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos no primeiro domingo da Quaresma“(Wikipedia).

A notícia publicada no Jornal Tribuna de Macau, edição de 10/03/2014:

A tradição ainda é o que era

por Sandra Lobo Pimentel

Um mar de gente e de fé invadiu as artérias centrais da cidade para mais uma procissão do Senhor Bom Jesus dos Passos. A tradição católica mantém-se viva na comunidade local e prova que, com o passar dos anos desde a transição de soberania, pelo menos neste aspecto, ainda é o que era. Famílias representadas por várias gerações marcaram presença manifestando a mesma devoção. Este ano contou com uma novidade: o Grupo de Escuteiros Lusófonos de Macau participou oficialmente na procissão, numa colaboração com a Confraria do Bom Jesus dos Passos

A cerimónia católica começou na noite de sábado, quando a imagem do Senhor dos Passos carregando a cruz foi levada da Igreja de Santo Agostinho até à Sé Catedral. O percurso passou pelo Largo do Senado e pelo Largo da Sé, e a imagem ficou em vigília durante a noite.

Ontem foi levada de volta para a Igreja de Santo Agostinho, no dia que marca a maior adesão da comunidade católica que depois de almoço foi enchendo a Sé Catedral e as ruas em volta, à espera do repicar do sino da igreja para iniciar o percurso.

A tradição católica em Macau deu sinais de vigor, juntando largas centenas de fiéis para o momento de devoção. Já passava das 16 horas quando, num silêncio apenas rompido pelo sino da Igreja, a imagem do Bom Jesus dos Passos deixou a Sé Catedral para iniciar o percurso que passou pelo Largo do Senado e Igreja de São Domingos, merecendo a atenção e curiosidade de muitos turistas, a maioria, não sabendo o que se passava.

Na procissão, foi possível ver muitas famílias com várias gerações a participar, com forte presença da comunidade macaense, mas não só. A comunidade filipina, tradicionalmente católica e bastante devota, também foi presença notada.

A procissão demorou cerca de duas horas, parando em frente à Igreja de São Domingos para um momento de oração, misturando a comoção de uns, com a curiosidade de outros, no caso, turistas, que iam tirando várias fotos do acontecimento.

Este ano, a Confraria do Bom Jesus dos Passos contou com a colaboração do Grupo de Escuteiros Lusófonos de Macau (GELMAC), sendo a primeira vez que participam na procissão oficialmente.

“Temos colaborado com a Paróquia em algumas iniciativas, mas como não temos muitos elementos, não temos feito parte da procissão propriamente dita, apesar de participarmos sempre”, disse ao JTM Nelson António, chefe do agrupamento do GELMAC.

A participação levou a que este ano marcassem presença de forma organizada. “Voluntariámo-nos para fazermos as aulas e fazer a procissão”. Sobre a preparação, o chefe do agrupamento revelou que já dura “há alguns meses”, contando apenas com os escuteiros mais velhos. “Temos as duas secções mais velhas, exploradores e pioneiros, dos 10 aos 18 anos, e os adultos, os chefes, que também estamos a colaborar. Excluímos apenas os mais pequeninos, dos seis aos nove anos”.

O GELMAC esteve à porta da Sé Catedral à espera que o andor saísse para então os escuteiros cumprirem o seu papel. “A nossa função, essencialmente, é fazer o acompanhamento para não deixar que haja algum distúrbio ou que alguém prejudique o normal andamento do andor e dos acompanhantes do andor”, explicou Nelson António.

Perante mais uma demonstração de fé da comunidade católica local, a tradição parece manter-se, sendo esperada mais uma enchente no próximo ano, para mais uma procissão.

Fotografias de/photos by Manuel Cardoso (Macau)

Versos de José dos Santos Ferreira “Adé” em patuá – dialeto de Macau – do livro Macau Jardim Abençoado

1 – A procissão no sábado da ida da imagem do Senhor dos Passos da Igreja de Santo Agostinho para a Sé Catedral

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

http://jtm.com.mo/local/tradicao-ainda-e-era/#sthash.OELcuXkw.dpuf

foto Manuel Cardoso

2 – Procissão do retorno do Senhor dos Passos da Sé Catedral para a Igreja de Santo Agostinho no domingo

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Hoze na Macau, tánto gente cristám,  /  Inchido di respêto,  /  Co piedade na coraçám,  /  Lôgo sai di casa vai drêto  /  Pa nôsso greza di Sé;  /  Bezá pê di Jesus co fé.

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Cavá uví sermám,  /  Fazê penitência, reza,  /  Tudo alma cristám  /   Lôgo vai adro isperá,  /  Co devoçám, co fervôr,  / Sinhôr-Passo na Su andôr

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Jesus quelora passá,  /  Tudo criatura qui têm na travéssa,  /  Lôgo azinha ajoeliá,  /  Co respêto bassá cabéça.  /  Sã Jesus qui ta caminhá,  /  Su cruz pesado ta cartá.

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Na cabéça têm coroa di ispinho,  /  Na cintura têm corda marado;  /  Pê discalço pisá caminho,  /  Co rosto di sángui banhado.  /  Sã nôsso mánso Jesus  /  Qui ta subí Calvário co Su cruz.

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Verónica na diánti di andôr.  /  Lô chomá mundo respondê  /  Si têm dôr más grándi qui dôr  /  Qui nôsso Jesus tá sofrê.  /  “Vosôtro qui têm aqui, olá,  /  Filo di Dios ta churá!”

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Vagar-vagar, passo-a-passo,  /  Gente inchido di devoçám,  /  Lô companhá nôsso Sinhôr-Passo  /  Na Su respetado procissám.  /  Bom Jesus, Misericordioso,  /  Têm ali, co coraçám amoroso.

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Povo sai voz ta pedí  /  Misericórdia co Sinhôr.  /  Qui-foi Jesus nádi uví,  / Si coraçám ta inchido di amôr? Masquí onçôm ta padecê,  /  Ele lô cudí quim merecê.

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Cavá segui tudo caminho,  /  Gente di Macau cristám  /  Lô vai greza Sant’Agostinho  /  Pa ramatá su oraçám.  /  Jesus têm ali pa uví  /  Quim co humildádi sabe pedi.

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Vêm-cá nós, humilde, falá  /  Co Filo di Dios, Bom Jesus:  /  “Nôs querê ajudá Vós cartá  /  Vôsso quelê pesado cruz;  /  Nôsso pecado fazê Vôs sofrê,  /  Pa nôsso salvaçám Vôs morê!”

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

Pôde-sã qui Sinhôr lô querê    Livrá nôsso Macau margurado  /  Di nómi di Su Pai perdê,  /  Pa vivo n’unga mundo transtornado.  /  Vêm-cá nôs co devoçám pedi.   /  “Jesus Misericordioso, cudí”.

foto Manuel Cardoso

foto Manuel Cardoso

* Banda da Polícia: conforme esclarecimento recebido, a Banda da PSP (Polícia de Segurança Pública) participou da 1ª procissão no sábado, porém a ausência estranhada no domingo foi devido a uma festa da corporação que impediu a sua participação.  Deixemos assim de lado as preocupações com uma mudança de atitudes governamentais.

A HISTÓRIA DE NOSSO SENHOR DOS PASSOS (Wikipedia)

Nosso Senhor dos Passos é uma invocação de Jesus Cristo e uma devoção especial na Igreja Católica a ele dirigida, que faz memória ao trajeto percorrido por Jesus Cristo desde sua condenação à morte no pretório até o seu sepultamento, após ter sido crucificado no Calvário.

A história desta devoção remonta à Idade Média, quando os cruzados visitavam os locais sagrados de Jerusalém por onde andou Jesus a caminho do martírio, e quiseram depois reproduzir espiritualmente este caminho quando voltaram à Europa sob forma de dramas sacros e procissões, ciclos de meditação, ou estabelecendo capelas especiais nos templos.

No século XVI se fixaram 14 momentos principais deste trajeto, embora o número tenha variado na história do catolicismo de sete a 39. Estes pontos principais são chamados de as estações ou os passos da Paixão de Cristo ao longo da Via Sacra ou Via Crucis. São eles:

I. Jesus é condenado à morte

II. Jesus carrega a cruz às costas

III. Jesus cai pela primeira vez

IV. Jesus encontra a sua Mãe

V. Simão Cirineu ajuda Jesus a carregar a cruz

VI. Verônica limpa o rosto de Jesus

VII. Jesus cai pela segunda vez

VIII. Jesus encontra as mulheres de Jerusalém

IX. Terceira queda de Jesus

X. Jesus é despojado de suas vestes

XI Jesus é pregado na cruz

XII. Morte de Jesus na cruz

XIII. Descida do corpo de Jesus da cruz

XIV. Sepultamento de Jesus

Esta invocação se tornou muito popular em alguns países como Portugal e Brasil, dando origem a rica iconografia e onde existem inúmeras igrejas fundadas sob sua proteção, e na Quaresma são realizadas procissões especiais chamadas de Procissão dos Passos ou Procissão do Encontro .

Nosso Senhor dos Passos no Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Minas Gerais, Brasil Obra do Aleijadinho

Nosso Senhor dos Passos no Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Minas Gerais, Brasil Obra do Aleijadinho. Foto: Rogério P.D. Luz

* veja postagem deste blog sobre a procissão em 2013 com fotos antigas:

https://cronicasmacaenses.com/2013/02/26/procissao-do-nosso-senhor-dos-passos-em-macau-tradicao-mantida-em-2013/

Anúncios

3 comentários em “Procissão de Nosso Senhor dos Passos em Macau 2014

  1. Rui Francisco
    15/03/2014

    Pela primeira vez que a banda da PSP não compareceu à procissão, é mesmo um mau princípio.Porque? Não houve aviso nem comunicação qualquer!

  2. Rui Francisco
    15/03/2014

    Assim já não é o que era antigamente ou até mesmo na última procissão como dizia a jornalista do jornal tribuna de Macau agora infelizmente porque antigamente os(a maioria) dos acompanhantes andavam ou acompanhavam ao som dorufar dos tambores da BANDA DA PSP presente, agora apenas com escuteiros(estudantes sem qualquer tambor já é outra coisa mesmo…sem piada mesmo….

  3. Rui Francisco
    15/03/2014

    Outros tempos outras gentes…. E agora com a maioria comodistas…….e sem o rufar dos tambores da saudosa banda da PSP os acompanhantes já não saberão acompanhar a procissão….E com um bom número de acompanhantes filpnos(trabalhadores e profissionais dos casinos que labutam em Macau……

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 652,644 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

Vídeo “O silêncio de um bandolim” à memória de Adalberto Remédios

O que o Adalberto Remédios mais gostava era tocar o seu bandolim. Uma paixão desde jovem nos bons tempos antigos de Macau (ex-território português na China). Costumava tocar nas festas e atividades externas da Casa de Macau de São Paulo, formando um trio com o Clemente Badaraco (viola/violão/bandolim) e Manuel Ramos (baixo/percussão), até se mudar com […]

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

O Dia de Portugal na Macau portuguesa de 1973, em vídeo da RTP

Outro vídeo da saudosa Macau sob administração portuguesa nas comemorações do Dia de Portugal em 1973, na época em que o governador era  o general Nobre de Carvalho . Faz parte dos arquivos da RTP Rádio e Televisão Portuguesa que foram disponibilizados ao público no seu aniversário de 70 anos. “Macau, Campo Desportivo 28 de […]

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Vídeo ‘Macau 70’ da RTP mata saudades, assista …

Viajar ao passado de Macau, dos belos tempos dos anos 60 e 70, é o que nos proporciona o vídeo “Macau 70”, produzido pela RTP Rádio e Televisão Portuguesa. A comemorar 70 anos, a RTP disponibilizou no seu website os arquivos para consulta ‘on-line‘ e Macau está presente numa das suas seções. Na apresentação do […]

%d blogueiros gostam disto: