Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Templo chinês de Macau: Tin Hau Miu

Publicação do livro “Na Afirmação de uma Identidade” de 1997 lista templos chineses restaurados pelo Instituto Cultural de Macau nos aos 80 e 90. Eis um deles:

Macau templo chines Tin Hau 01

Foto de 1997

TEMPLO “TIN HAU MIU”

O templo de Tin Hau, cujos pavilhões se dispersam sobre uma colina de densa vegetação, tinha uma vista deslumbrante sobre as águas e era frequentado por pescadores da aldeia chinesa de Ma Kau Seac. Diz a lenda que depois de violento tufão que destruiu toda a aldeia, para o qual os pescadores foram alertados por espíritos mudando-se para outro local, os pescadores nunca mais regressaram. Outra lenda refere no entanto que os pescadores morreram todos à exepção de uma velhinha que se havia refugiado no templo.

Macau templo chines Tin Hau 02

Foto de 1997

As opiniões sobre a data da sua construção dividem-se entre a mesma altura que o de Á-Má e 1875, data esta dum pórtico, em forma de lua, que mistura influências chinesas e ocidentais.

Para alguns historiadores a origem do nome português “Macau” deriva do nome deste local, Ma Kau Seac, devido à existência de uma pedra em forma de cavalo.

antigamente

antigamente

Localização: Rua dos Pescadores

Data de construção: Séc. XVI (anterior a 1557) – Dinastia Ming

  • O livro “Na Afirmação de uma Identidade” é uma publicação do Instituto Cultural de Macau editada em 1997. As imagens são do livro.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Informação

Publicado às 03/08/2015 por em Tin Hau Miu e marcado , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 820,046 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Memórias de S.Paulo 2006 – festa de aniversário da Casa de Macau

Passaram-se 11 anos, não parece muito, mas vários conterrâneos e amigos nas fotos que publico da festa do 17º aniversário da Casa de Macau de São Paulo em 2006, promovida em 29 de julho, não estão mais conosco. Ficaram os bons momentos registrados da boa confraternização. Vale um momento de reflexão para sempre procurarmos um […]

%d blogueiros gostam disto: