Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P D Luz

Memórias de Macau: Campo de Tap Seac na década de 1940

Macau Tap Seac antigo memorias RM

Foto do Arquivo Histórico de Macau publicada pela Revista Macau

(Atualização 21/01/2016: Veja mais abaixo, no final da postagem, nova imagem e explicação sobre o significado em chinês de Tap Seac)

Publicação da Revista Macau, edição de Outubro de 2015, em Memórias, lembra o – Campo de Tap Seac – na década de 1940. Vejamos:

CAMPO DE TAP SEAC NA DÉCADA DE 1940

Com uma área de cerca de 13 mil metros quadrados, o antigo Campo do Tap Seac resultou de um aterro em 1905 a um pântano que aí existia, rodeado por uma colina com três enormes rochedos que foram também destruídos. Esse era um dos locais favoritos das crianças – muitas delas do Asilo dos Órfãos e Idosos da zona – para pôr os seus papagaios a voar.

Mais tarde, quando foi construído o Liceu, o campo passou a ser usado para o recreio dos alunos. Pouco a pouco na década de 1920, vários edifícios neoclássicos foram sendo erguidos e construiu-se um campo desportivo, onde o hóquei era uma das maiores atracções.

Em 2007, o campo deu lugar ao que agora é a Praça do Tap Seac, a maior de Macau, concebida pelos arquitectos Carlos Marreiros e José Maneiras e pelo engenheiro civil Chui Sai Peng. É sobretudo utilizada para grandes eventos, como a Parada Latina, em Dezembro, e feiras culturais.

Década de 40 - Origem: Revista Macau

Década de 40 – Origem: Revista Macau

Atividade desportiva no Campo de Tap Seac nos anos 50 ou 60

Acervo de ex-aluno do Seminário de São José

Acervo de ex-aluno do Seminário de São José

  • Comentários na publicação do link no Facebook:

Filipe Rosario – Conheci este campo como na foto.

Antonio Cameirão Braga – Sim Filipe eu também. Que memória deste campo de tap seac! Vi tantos jogos de hóquei de campo neste local.

Jorge Coimbra –  Campo da Caixa Escolar (não sei quando lhe deram esse nome), local dos treinos e jogos de hóquei em campo e de brincadeiras da criançada que morava junto ao campo nos anos cinquenta (antes e depois).

Api Rosario – Boas memórias.

Lidia Pedruco – Meu irmão jogou muito hoquei aí qdo esse campo era desportivo!!!

Atualização 21/01/2016

Texto de M.V. Basílio (Macau)

Gravura de George Chinnery

Tap Seac em gravura de George Chinnery (Colina da Guia ao fundo)

O nome “Tap Seac” (疊 石) significa pedras ou rochas empilhadas (ou amontoadas), enquanto que “T’áp Seac” (塔 石) significa torre de pedra. O dialecto cantonense, com os seus nove tons, dá origem a frequentes variações fonéticas, sobretudo quando há uma semelhança ou aproximação na pronúncia de caracteres. Pelo desenho, penso que aquela zona era inicialmente designada por “Tap Seac” (疊 石), devido à configuração das rochas dispostas no local, mas a pronúncia do primeiro caracter foi gradualmente deturpada, passando a ser T’áp Seac (塔石).  Se tivesse lá existido uma torre de pedra, a designação correcta, em chinês, seria 石塔 Seac T’áp e não 塔石 T’ap Seac.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 14/01/2016 por em Campo Tap Seac 1940 e marcado , , , .

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 1.409.709 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Blog do Projecto Memória Macaense

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

Macau: Bons tempos do Teatro Dom Pedro V recordados por Jorge Eduardo (Giga) Robarts

1 Aqueles bons tempos de Macau, que já não voltam mais, de peças teatrais com participação de macaenses, são recordadas por Jorge Eduardo (Giga) Robarts na sua página no Facebook. Com autorização do Giga, as imagens foram copiadas e editadas, inclusive seus textos. Fazem parte do seu acervo, bem como, partilhadas por seus amigos dessa […]

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Duas histórias de Macau por Manuel V. Basílio: ‘A 1ª viagem portuguesa no sul da China’ e ‘O 1º acordo sino-português’

Nesta postagem, divulgamos duas histórias de Macau de autoria do Manuel V. Basílio, publicadas no Jornal Tribuna de Macau-JTM e que foram extraídas dos seus livros: A primeira viagem portuguesa no sul da China O primeiro acordo sino-português Nos artigos abaixo com os textos com ligação direta no JTM , clique em “continue reading” (continue […]

Macau em 1997 – entrevista com Anabela Ritchie sobre a transição da soberania em 1999

Macau em 1997 – entrevista com Anabela Ritchie sobre a transição da soberania em 1999

A recordar os tempos que antecederam a transição da soberania de Macau para a República Popular da China que ocorreu em 20 de Dezembro de 1999, transcrevemos em três postagens, as entrevistas concedidas ao Diário de Notícias em 1997 e que foram publicadas no antigo website A-Ma Gau – Ecos de Macau. Nesta postagem, a […]

%d blogueiros gostam disto: