Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Castelo Rodrigo, vencedor de concurso em Aldeias Autênticas, Dólmen de Matança, Necrópole das Forcadas, Trancoso, Marialva estão no 5º roteiro de Aldeias de Xisto e Históricas de Portugal

Roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas (em Portugal) – (Parte 5 de 8)

Artigo, fotografias e legendas de Jorge Basto (Portugal)

Preâmbulo:

As Aldeias do Xisto são um conjunto de 27 aldeias cujas construções são feitas de xisto, das quais as mais belas ficam na Serra de Lousã.

As Aldeias Históricas são um conjunto de 12 núcleos urbanos anteriores ao Reino de Portugal, na região das Beiras e de grande importância histórica.

Este roteiro que realizei em 8 dias faz uma passagem por essas Aldeias, bem como por outros locais que me interessaram pelo caminho.

O Roteiro pelas Aldeias do Xisto e Históricas, em 8 dias (Google)

Dia 5: Linhares da Beira-Castelo Rodrigo

Neste dia ao sairmos de Linhares passamos por 2 locais arqueológicos, fora do roteiro para turista. Depois continuamos para outras aldeias históricas, Trancoso e Marialva, até chegarmos a Castelo Rodrigo, outro vencedor do Concurso de «Aldeia Histórica».

De Linhares da Beira a Castelo Rodrigo (Google)

1 – Dólmen de Matança, neolítico

A sua construção remonta ao final do neolítico (cerca de 2800 a.C) e crê-se um legado dos povos Celtas.

Encontra-se muito bem preservado com a mesa (pedra horizontal) bem sustentada por 9 esteios (pedras verticais), com 4m de altura..

1.1 Dólmen neolítico e seu enquadramento. Foto: Jorge Basto

1.2 Dólmen com mesa sustentada por esteios. Foto: Jorge Basto

1.3 Entrada do dólmen. Foto: Jorge Basto

1.4 Pormenores. Foto: Jorge Basto

1.5 Interior do dólmen. Foto: Jorge Basto

2 – Necrópole das Forcadas, medieval

Esta necrópole do séc. VIII inclui cerca de 25 sepulturas escavadas na rocha, de forma oval, rectangular e trapezoidal encontrando-se algumas delas geminadas.

Seriam cobertas por lajes e de origem visigótica.

2.1 Necrópole das Forcadas. Foto: Jorge Basto

2.2 Sepultura oval. Foto: Jorge Basto

2.3 Sepultura rectangular. Foto: Jorge Basto

2.4 Sepulturas geminadas rectangulares. Foto: Jorge Basto

2.5 Sepulturas geminadas, rectangular e oval. Foto: Jorge Basto

3 – Trancoso (Beira Alta), Aldeia Histórica

Afonso Henriques concede-lhe a carta de Foral e D. Dinis manda construir as muralhas que ainda hoje protegem um burgo onde conviveram cristãos e judeus, numa grande comunidade.

3.1 Portas do Prado, uma das entradas. Foto: Jorge Basto

3.2 Praça D. Dinis, a principal. Foto: Jorge Basto

3.3 Igreja de S. Pedro, séc XVIII. Foto: Jorge Basto

3.4 Pelourinho (símbolo de poder jurídico/administrativo, por foro real) com «gaiola» superior, de 1510. Foto: Jorge Basto

3.5 Casa dos Arcos, do séc. XVII, que funcionou como Tribunal. Foto: Jorge Basto

3.6 Palácio Ducal, séc XVIII. Foto: Jorge Basto

3.7 Uma rua do Bairro Judeu. Foto: Jorge Basto

4 – Marialva, outra Aldeia Histórica

O Castelo de Marialva situa-se no topo de um penedo granítico, em posição dominante.

Governado pela nobre família Marialva, o seu 4.º marquês foi o famoso “Marquês de Marialva” (séc XVIII), exímio cavaleiro e estribeiro-mor d´el-rei D. José I, mas também boémio e fadista.

Dele advém o termo «marialvismo», relativo às regras de cavalgar com estribos curtos (usado em touradas), e em sentido pejorativo – conduta aventureira de sedutor, conquistador de mulheres.

Marialva liga-se também ao trágico destino dos Távora (séc XVIII): o Marquês de Távora, seu então alcaide, foi condenado por tentativa de regicídio e a família torturada e executada publicamente em Lisboa. A partir daí a população do Castelo começou a abandoná-lo, vivendo extramuros.

4.1 Castelo de Marialva. Foto: Jorge Basto

4.2 O interior do Castelo. Foto: Jorge Basto

4.3 A Torre do Relógio (esq.) e a Torre do Monte (dir.). Foto: Jorge Basto

4.4 A antiga Câmara (esq.) e o Pelourinho do séc XVI. Foto: Jorge Basto

4.5 Igreja de Santiago do séc XII. Foto: Jorge Basto

4.6 A Capela de N. Sra. de Lourdes do séc XVII, no exterior. Foto: Jorge Basto

Castelo Rodrigo, vencedor Concurso de «Aldeia Histórica»*

Castelo Rodrigo está rodeado por muralhas, com ruas e casas interessantes, umas manuelinas outras árabes, e encontra-se na rota dos peregrinos a Compostela.

Historicamente, nenhuma povoação raiana exerceu por tão longo período um lugar tão relevante nas relações Luso-Castelhanas e na defesa do território português.

5.1 Porta do Sol (pode-se circular de carro). Foto: Jorge Basto

5.2 Uma ruela medieval. Foto: Jorge Basto

5.3 Uma calçada medieval. Foto: Jorge Basto

5.4 Pelourinho com «gaiola», do séc. XVI. Foto: Jorge Basto

5.5 Torre do Relógio, que funcionava com pesos. Foto: Jorge Basto

5.6 Igreja Matriz, do séc XIII. Foto: Jorge Basto

5.7 Ruínas do Castelo, séc XII. Foto: Jorge Basto

6 – Castelo Rodrigo, a Hospedaria (na pernoita) e o Convento (na manhã seguinte)

A Hospedaria do Convento, ao lado do Convento, torna-se agradável para, no final dum dia a conduzir, poisar e degustar um «tinto», sentar e conversar. Já agora, também pernoitar.

Junto algumas fotos desse local que outrora foi uma residência familiar, reconstruída em 1990s.

O Convento de Santa Maria de Aguiar do séc XII é um exemplo fidedigno da primitiva arquitectura da Ordem de Cister: austeridade, robustez e poucos elementos ornamentais.

Local de muitas lutas entre cristãos e mouros, e posteriormente entre portugueses e leoneses, foi edificado como um recinto fechado.

6.1 A Hospedaria do Convento. Foto: Jorge Basto

6.2 Jardim e piscina. Foto: Jorge Basto

6.3 Os salões interiores. Foto: Jorge Basto

6.4 A biblioteca. Foto: Jorge Basto

6.5 O Convento de Sta. Maria de Aguiar. Foto: Jorge Basto

6.6 A Igreja. Foto: Jorge Basto

6.7 A parte do Convento. Foto: Jorge Basto

6.8 Pormenor de janela. Foto: Jorge Basto

6.9 O interior da Igreja. Foto: Jorge Basto

Dia 6 -Castelo Rodrigo-Belmonte

Fica para o próximo episódio, quando regressarmos ao Sul para Belmonte: a terra mais Brasileira de Portugal.

Porque? Foi aí que nasceu Pedro Álvares Cabral.

Nota: *Castelo Rodrigo foi vencedor na categoria “Aldeias Autênticas” no concurso – As 7 Maravilhas de Portugal

  • Veja também:

Parte 1: Portugal maravilhoso: viagem às “Aldeias do Xisto e Históricas” num roteiro de 8 dias (1º dia)

Parte 2: No roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas, em Portugal, Jorge Basto visita Gondramaz, Talasnal, Cerdeira e Lousã

Parte 3 – Piódão, vencedora das 7 maravilhas de aldeias remotas de Portugal, é destaque no roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas

Parte 4 – Na 4ª parte do roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas, em Portugal, visita à Foz d´Égua, Poço da Broca, Praia da Loriga e Lagoa Comprida

Parte 6 – Belmonte, a terra de Pedro Álvares Cabral, está na 6ª parte do Roteiro das Aldeias de Xisto e Históricas

 

 

 

 

Anúncios

7 comentários em “Castelo Rodrigo, vencedor de concurso em Aldeias Autênticas, Dólmen de Matança, Necrópole das Forcadas, Trancoso, Marialva estão no 5º roteiro de Aldeias de Xisto e Históricas de Portugal

  1. Pingback: Belmonte, a terra de Pedro Álvares Cabral, está na 6ª parte do Roteiro das Aldeias de Xisto e Históricas | Cronicas Macaenses

  2. Pingback: Na 4ª parte do roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas, em Portugal, visita à Foz d´Égua, Poço da Broca, Praia da Loriga e Lagoa Comprida | Cronicas Macaenses

  3. Pingback: Piódão, vencedora das 7 maravilhas de aldeias remotas de Portugal, é destaque no roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas | Cronicas Macaenses

  4. Pingback: No roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas, em Portugal, Jorge Basto visita Gondramaz, Talasnal, Cerdeira e Lousã | Cronicas Macaenses

  5. Pingback: Portugal maravilhoso: viagem às “Aldeias do Xisto e Históricas” num roteiro de 8 dias (1º dia) | Cronicas Macaenses

  6. Pingback: No 7º Roteiro de Aldeias do Xisto e Históricas de Portugal, em destaque Monsanto e Sortelha | Cronicas Macaenses

  7. Pingback: No final do Roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas em Portugal, visita a Castelo Branco, Portas de Almourão e Portas do Ródão | Cronicas Macaenses

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 879.323 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de Macau de Todos os Tempos (01)

Nesta postagem do que poderia chamar de uma série “Memórias de Macau de Todos os Tempos”, remetendo-me a um vídeo que publiquei no YouTube (vide no final), publico umas fotos antigas recolhidas ao acaso do meu extenso acervo, ora já publicadas no site (inativo) do Projecto Memória Macaense, ou não, e também já republicadas por […]

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

%d blogueiros gostam disto: