Cronicas Macaenses

Blog-foto-magazine de Rogério P. D. Luz,

Belmonte, a terra de Pedro Álvares Cabral, está na 6ª parte do Roteiro das Aldeias de Xisto e Históricas de Portugal

Roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas (em Portugal) – (Parte 6 de 8)

Artigo, fotografias e legendas de Jorge Basto (Portugal)

Preâmbulo:

As Aldeias do Xisto são um conjunto de 27 aldeias cujas construções são feitas de xisto, das quais as mais belas ficam na Serra de Lousã.

As Aldeias Históricas são um conjunto de 12 núcleos urbanos anteriores ao Reino de Portugal, na região das Beiras e de grande importância histórica.

Este roteiro que realizei em 8 dias faz uma passagem por essas Aldeias, bem como por outros locais que me interessaram pelo caminho.

O Roteiro pelas Aldeias do Xisto e Históricas, em 8 dias; Origem: Google maps

Dia 6: Almeida-Belmonte

Neste dia saímos de Castelo Rodrigo e visitamos 3 Aldeias Históricas, cada uma com o seu encanto: Almeida, Castelo Mendo e Belmonte.

Pelo caminho passamos por 2 pontes medievais de rara beleza, Ponte Grande e Ponte de Sequeiros, e por fim chegamos a Belmonte: a terra mais Brasileira de Portugal!

De Almeida a Belmonte. Origem: Google maps

1 – Almeida

Esta Aldeia Histórica foi uma praça-forte do séc XVIII, de planta hexagonal em estrela com 12 pontas, constituída por seis baluartes.

Durante a sua época áurea esteve guarnecida por 5000 homens e continha mais de 100 bocas de fogo.

1.1 Mapa de Almeida, mostrando o hexágono e a estrela de 12 pontas (foto Google)

1.2 O antigo Paço do Concelho, hoje Câmara. Foto Jorge Basto

1.3 Vedoria Geral da Beira / Casa dos Governadores, hoje Palácio da Justiça. Foto Jorge Basto

1.4 Picadeiro d’El Rey, outrora quartel militar, e restaurado para prática de actividades equestres. Foto Jorge Basto

1.5 O picadeiro ao ar livre no seu interior. Foto Jorge Basto

1.6 A Casa da Roda dos Expostos (séc XIX), para acolhimento de crianças abandonadas, que eram deixadas numa «roda giratória», na abertura ao lado da janela. Foto Jorge Basto

2 – Ponte Grande sobre o rio Côa

A Ponte Grande (séc. XVII) foi o principal acesso a Almeida (a 5km), na região onde se travou a histórica Batalha da Ponte do Côa, durante as Invasões Francesas: tropas anglo-lusas comandadas pelo general Crawford e tropas francesas chefiadas pelo marechal Ney.

2.1 Ponte Grande, em cantaria de granito, com 3 arcos abatidos. De arquitectura invulgar, tem uma curva para alinhar nos encontros rochosos. Foto Jorge Basto

2.2 Rio Côa foi fronteira de Portugal até o tratado de Alcanices em 1297. Tem 135 km e deságua no Rio Douro. Foto Jorge Basto

2.3 Outra vista da Ponte. Foto Jorge Basto

2.4 As encostas íngremes e o rio. Foto Jorge Basto

2.5 Monumento Evocativo da sangrenta Batalha da Ponte Grande (1810). Foto Jorge Basto

2.6 O viaduto da EN340 e ao lado essa Ponte Grande: não se vê da estrada, não tem sinalização e não há local seguro para estacionar próximo. É mesmo aventura. Foto Jorge Basto

3 – Castelo Mendo

É uma Aldeia Histórica medieval (séc. XIII), edificada num monte granítico, constituída por dois núcleos amuralhados: a Cidadela (o burgo velho, no cimo, em ruínas) e a Barbacã (o burgo novo, a zona urbana);

3.1 Castelo Mendo, vista geral do monte. Foto Jorge Basto

3.2 Porta da Vila, ladeada por dois torreões. Foto Jorge Basto

3.3 Uma escultura zoomórfica de «berrão», de cada lado da Porta. Será um porco, ou javali sem cabeça? Julga-se dos Celtas e possivelmente ligada ao culto da fertilidade. Foto Jorge Basto

3.4 Igreja de S. Vicente, séc. XIII, com o brasão dos corvos sobre a entrada. Foto Jorge Basto

3.5 Igreja de S. Pedro, Matriz, séc. XIV. Foto Jorge Basto

3.6 Pelourinho com «gaiola», séc. XVI. Com 7m de altura, é o mais alto das Beiras e feito com uma só pedra. Foto Jorge Basto

3.7 Casa com varanda alpendrada, séc. XVI. Foto Jorge Basto

4 – Ponte de Sequeiros sobre o Rio Côa

Ponte medieval (séc. XIII) fortificada, a 15km de Sabugal, serviu de fronteira entre os Reinos de Portugal e de Leão.

Só há 2 pontes fortificadas em Portugal, e a outra é a de Ucanha, a 16km de Lamego.

Actualmente é uma ponte de uso meramente pedonal numa zona natural muito bonita, com um pequeno parque de merendas embelezado pela passagem do rio Côa.

4.1 O melhor acesso por estrada pavimentada. Os outros são em terra batida. Dica para GPS: pesquisar 1º Vale Longo, e 2º Ponte de Sequeiros.(foto Google)

4.2 A Ponte de Sequeiros, quiçá a mais bela ponte medieval em Portugal. Foto Jorge Basto

4.3 Talha-mares da ponte, em rio abundante no Inverno. Foto Jorge Basto

4.4 Torre de planta quadrada, que servia de controlo fronteiriço. Foto Jorge Basto

4.5 Torre e pavimento lajeado da ponte. Foto Jorge Basto

4.6 Rio Côa, a montante (o rio corre de Sul para Norte). Foto Jorge Basto

4.7 Rio Côa, a jusante mais agitado no estreito. Foto Jorge Basto

5 – Belmonte: por mera lógica, se é a terra de Pedro Álvares Cabral, então…  é a terra mais Brasileira de Portugal

A história de Belmonte surge, normalmente, associada à história dos Cabrais e dos Judeus.

Pedro Álvares Cabral (Belmonte-1467, Santarém-1520) foi um fidalgo, comandante militar, navegador e explorador português, creditado como o descobridor do Brasil, tendo chegado a Porto Seguro em 1500.

A Comunidade Judaica que, durante séculos, resistiu até à Santa Inquisição e às penas do seu tribunal, aqui sobreviveu por manter em segredo a prática religiosa. Pessoalmente apercebi-me da presença de visitantes Judeus, até mesmo estrangeiros, que ali vão como que em «peregrinação».

5.1 O Castelo, séc. XIII, que foi residência da família Cabral. À esq. a cruz de madeira de Pau Santo do Brasil, oferecida pelo Presidente Juscelino Kubitschek. Foto Jorge Basto

5.2 A magnífica janela Manuelina. Foto Jorge Basto

5.3 A Torre Sineira (séc. XVIII), o Panteão dos Cabrais (séc. XV) e a Igreja de S. Tiago (séc. XIII). Foto Jorge Basto

5.4 O Solar dos Cabrais (à esq.), que foi habitação da família Cabral, com o brasão dos Condes de Belmonte, e onde no logradouro se construiu o Museu dos Descobrimentos (à dir.). Foto Jorge Basto

5.5 A estátua de Pedro Álvares Cabral, de 1961. Foto Jorge Basto

5.6 O antigo Paço do Concelho (séc. XVI) e o Pelourinho, modesto sem capitel. Foto Jorge Basto

5.7 Uma rua da Judiaria, onde perto existem uma Sinagoga (1997) e um Museu Judaico (2005) (que não encontrei/fotografei).. Foto Jorge Basto

5.8 O Rio Zêzere (de 214km) visto do hotel, que nasce na Serra da Estrela e conflui no Rio Tejo. Foto Jorge Basto

Dia 7: Belmonte – Fundão

Fica para o próximo episódio, regressando mais ao Sul, com passagem por outras Aldeias Históricas: Sortelha, Monsanto (a aldeia mais Portuguesa de Portugal, assim designada pelo Estado Novo) e Idanha-a-Velha.

x x x . . . x x x 

Veja também 

Parte 1: Portugal maravilhoso: viagem às “Aldeias do Xisto e Históricas” num roteiro de 8 dias (1º dia)

https://cronicasmacaenses.com/2018/05/20/portugal-maravilhoso-viagem-as-aldeias-do-xisto-e-historicas-num-roteiro-de-8-dias-1o-dia/

Parte 2: No roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas, em Portugal, Jorge Basto visita Gondramaz, Talasnal, Cerdeira e Lousã

https://cronicasmacaenses.com/2018/05/31/no-roteiro-das-aldeias-do-xisto-e-historicas-em-portugal-jorge-basto-visita-gondramaz-talasnal-cerdeira-e-lousa/

Parte 3 – Piódão, vencedora das 7 maravilhas de aldeias remotas de Portugal, é destaque no roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas

https://cronicasmacaenses.com/2018/06/27/piodao-vencedora-das-7-maravilhas-de-aldeias-remotas-de-portugal-e-destaque-no-roteiro-das-aldeias-do-xisto-e-historicas/

Parte 4 – Na 4ª parte do roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas, em Portugal, visita à Foz d´Égua, Poço da Broca, Praia da Loriga e Lagoa Comprida

https://cronicasmacaenses.com/2018/07/15/na-4a-parte-do-roteiro-das-aldeias-do-xisto-e-historicas-em-portugal-visita-a-foz-degua-poco-da-broca-praia-da-loriga-e-lagoa-comprida/

Parte 5 – Castelo Rodrigo, vencedor de concurso em Aldeias Autênticas, Dólmen de Matança, Necrópole das Forcadas, Trancoso, Marialva estão no 5º roteiro de Aldeias de Xisto e Históricas de Portugal

https://cronicasmacaenses.com/2018/08/15/castelo-rodrigo-vencedor-de-concurso-em-aldeias-autenticas-dolmen-de-matanca-necropole-das-forcadas-trancoso-marialva-estao-no-5o-roteiro-de-aldeias-de-xisto-e-historicas-de-portugal/

Anúncios

5 comentários em “Belmonte, a terra de Pedro Álvares Cabral, está na 6ª parte do Roteiro das Aldeias de Xisto e Históricas de Portugal

  1. Pingback: Castelo Rodrigo, vencedor de concurso em Aldeias Autênticas, Dólmen de Matança, Necrópole das Forcadas, Trancoso, Marialva estão no 5º roteiro de Aldeias de Xisto e Históricas de Portugal | Cronicas Macaenses

  2. Pingback: Na 4ª parte do roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas, em Portugal, visita à Foz d´Égua, Poço da Broca, Praia da Loriga e Lagoa Comprida | Cronicas Macaenses

  3. Pingback: Piódão, vencedora das 7 maravilhas de aldeias remotas de Portugal, é destaque no roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas | Cronicas Macaenses

  4. Pingback: No roteiro das Aldeias do Xisto e Históricas, em Portugal, Jorge Basto visita Gondramaz, Talasnal, Cerdeira e Lousã | Cronicas Macaenses

  5. Pingback: Portugal maravilhoso: viagem às “Aldeias do Xisto e Históricas” num roteiro de 8 dias (1º dia) | Cronicas Macaenses

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Autoria do blog-magazine

Rogério P. D. Luz, macaense-português de Macau, ex-território português na China, radicado no Brasil por mais de 40 anos. Autor dos sites Projecto Memória Macaense e ImagensDaLuz.

Sobre

O tema do blog é genérico e fala do Brasil, São Paulo, o mundo, e Macau - ex-colônia portuguesa no Sul da China por cerca de 440 anos e devolvida para a China em 20/12/1999, sua história e sua gente.
Escrita: língua portuguesa escrita/falada no Brasil, mas também mistura e publica o português escrito/falado em Portugal, conforme a postagem, e nem sempre de acordo com a nova ortografia, desculpando-se pelos erros gramaticais.

Pesquise por tema e localidade (ordem alfabética)

Últimas 150 postagens

Estatísticas do blog

  • 867.957 hits

Monitoramento de visitas – contagem desde 01/Nov/2011

free counters

Postagens recentes: Fotoblog do Projecto Memória Macaense

Memórias de Macau de Todos os Tempos (01)

Nesta postagem do que poderia chamar de uma série “Memórias de Macau de Todos os Tempos”, remetendo-me a um vídeo que publiquei no YouTube (vide no final), publico umas fotos antigas recolhidas ao acaso do meu extenso acervo, ora já publicadas no site (inativo) do Projecto Memória Macaense, ou não, e também já republicadas por […]

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

O Ano Novo chinês celebrado pela comunidade macaense de São Paulo

Para celebrar o Ano Novo chinês de 2018, dando início ao Ano do Cão, a Casa de Macau de São Paulo reuniu a comunidade macaense e amigos para um almoço especial, recheado de boa comida chinesa de dar água na boca. Era a oportunidade para comer, infelizmente, uma vez ao ano, o chái, ou comida de […]

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

Uma foto, uma memória de 63 anos atrás em Macau

No almoço especial do Ano Novo chinês realizado na Casa de Macau de São Paulo em 18 de Fevereiro de 2018, o macaense José Noronha, 83 anos, andava a mostrar uma foto antiga para algumas pessoas que tinham mais ou menos a sua idade. Procurava ele matar as saudades dos velhos tempos em Macau. Macaense […]

%d blogueiros gostam disto: